7 segredos para se dar bem no concurso para Juiz Federal

O concurso para Juiz Federal tem a fama de ser um dos mais difíceis do país. Por esse motivo, muita gente acredita que a aprovação nesse certame é algo apenas para os superdotados ou predestinados.

Contudo, isso não é verdade: a aprovação é plenamente possível para os meros mortais!

É claro que muita dedicação e esforço serão necessários, mas o que pouca gente sabe é que existem alguns segredos simples que podem te ajudar a ter uma performance muito melhor nas provas para Juiz Federal.

Quer saber quais são esses segredos? Continue lendo o nosso post!

concurso para juiz federal

Faça um planejamento de estudos

O conselho é unânime entre os aprovados: se você quiser passar no concurso, planejar a sua rotina de estudos é essencial.

O conteúdo exigido na prova da magistratura federal é bastante extenso, e se você não traçar uma estratégia para separar as matérias ao longo do seu tempo livre para estudar, as chances de sucesso diminuem bastante.

Para começar a elaborar o seu plano de estudos, o primeiro passo é definir quanto tempo do seu dia você pode dedicar aos livros.

Uma boa maneira de fazer isso é criando uma planilha no Excel com os dias da semana nas colunas e os horários nas linhas.

Preencha a planilha com as suas atividades diárias, tanto as fixas, quanto as ocasionais.

Os horários que ficarem livres são aqueles que você pode dedicar exclusivamente aos estudos. Não se preocupe se forem poucas horas diárias — o que importa é que naquele momento do dia, você esteja concentrado e faça  estudo render.

Agora que você já sabe exatamente durante quanto tempo irá estudar por dia, é hora de distribuir as matérias.

A escolha quanto a essa divisão é bastante pessoal: há quem prefira fixar uma ou duas matérias por dia, há quem prefira criar ciclos em que cada matéria é estudada por um período de tempo X. O importante é descobrir o que funciona pra você!

Uma vez que você termine de elaborar o seu plano de estudo, não deixe de segui-lo à risca. Criar uma rotina ajuda a manter a disciplina e a concentração, que são essenciais para um bom resultado.

concurso para juiz federal

Estude a banca examinadora

Outro segredo que faz toda a diferença para uma boa prova é conhecer a fundo a banca examinadora.

Sabendo quem faz parte dela, seus posicionamentos e temas preferidos, fica mais fácil direcionar seus estudos e se preparar com antecedência para evitar más surpresas.

No caso da magistratura federal, os próprios Tribunais Regionais Federais costumam formar a própria banca para a realização do certame.

Assim, pesquise quais juízes e desembargadores que foram avaliadores no concurso anterior, já que provavelmente serão os mesmos do próximo.

Procure saber se eles possuem material publicado, como artigos e livros, e, em caso positivo, não deixe de lê-los; confira também alguns acórdãos e sentenças proferidos por eles; em suma: faça o possível para conhecê-los da melhor maneira possível.

Compreender bem seus pensamentos, as matérias que mais julgam, a maneira como raciocinam e os autores mais citados em suas decisões, nesse caso, pode ser mais produtivo do que ler um monte de livros e perder seu tempo com assuntos que não necessariamente serão cobrados na prova.

concurso para juiz federal

Resolva (muitas) provas anteriores

Mais uma dica que é consenso entre os aprovados: resolver as provas anteriores é indispensável!

Na realidade, essa dica tem bastante a ver com a anterior, já que fazer os exames antigos é mais uma forma de conhecer a banca examinadora, os assuntos mais recorrentes e a forma como são cobrados.

Entretanto, esse não é o único benefício da tática: fazer exercícios força o seu cérebro a retomar as informações que você estudou, o que ajuda a criar a memória de longo prazo.

Isso significa que além de te preparar melhor para a prova, a resolução de exercícios torna mais fácil a tarefa de lembrar do conteúdo estudado na hora da prova — o que é essencial para a aprovação, certo?

Por isso, não deixe de resolver as provas antigas. Para as questões objetivas, não deixe de conferir as respostas e analisar cada um dos itens para identificar erros, acertos e pontos que precisam de mais aprofundamento.

Na fase subjetiva, responda às questões anteriores e compare com o espelho de prova. Na fase oral, por fim, procure realizar simulados com os colegas candidatos.

Tudo isso vai te ajudar a estar bem preparado para a hora da prova de verdade.

concurso para juiz federal

Invista nas matérias com que tem menos contato

Os concursos federais têm a peculiaridade de cobrar matérias com as quais não temos tanto contato ao longo do curso de graduação.

Grades como as de Direito Previdenciário, Direito Ambiental e Direito Econômico e Financeiro, por exemplo, costumam ser opcionais; por outro lado, são muito cobradas dos candidatos na prova da magistratura federal.

Justamente por esse motivo, é comum que a maioria dos concurseiros tenha uma certa deficiência nessas matérias.

Sendo assim, que tal sair na frente da concorrência dedicando mais tempo de estudo a essas áreas?

Na hora de distribuir as matérias pelo seu tempo livre para os estudos, separe um pouco mais de tempo para essas “menos comuns”, sem deixar de levar em conta também o seu peso na prova de acordo com o edital, é claro.

Se familiarizar com essas matérias pode ser um pouco complicado no início, mas conforme os estudos forem avançando, você terá mais facilidade — e uma enorme vantagem perante os demais candidatos!

concurso para juiz federal

Não deixe de ler informativos de jurisprudência do Tribunal

Todo concurseiro sabe que a leitura de informativos de jurisprudência é importantíssima para concursos, já que, a todo momento, são cobrados em provas os posicionamentos do STF e STJ sobre questões polêmicas entre os juristas.

O que poucos sabem é que não só a jurisprudência dos Tribunais Superiores deve ser estudada para a prova da magistratura federal, mas também aquela do Tribunal Regional Federal para o qual se está prestando concurso.

Lendo acórdãos do Tribunal, você consegue identificar os temas mais enfrentados no dia a dia da corte, bem como seus posicionamentos sobre eles.

Mas não basta ler só os acórdãos: é importante também selecionar os mais importantes dentre eles para conferir o inteiro teor, que apresentam um conteúdo muito mais rico.

Essa leitura é interessante pois ajuda a familiarizar o candidato com uma linguagem técnico-jurídica que será de extrema utilidade nas fases subjetivas e oral.

Além disso, por se tratar de uma exposição de raciocínio bem elaborada, ajuda também o candidato a desenvolver essa habilidade de lógica jurídica, ou seja, da própria aplicação do Direito a um caso prático, que também é bastante exigida nas fases mais avançadas do concurso.

concurso para juiz federal

Treine a sua redação para o concurso para juiz federal

Durante os estudos em casa, a maioria dos candidatos acaba investindo muito tempo apenas na leitura de livros e artigos, deixando de lado a parte da redação.

Não é por outra que muita gente perde pontos na fase de elaboração de sentenças por causa dessa deficiência: apesar de saber bem a parte teórica da matéria, acabam se atrapalhando por não saber expor um raciocínio jurídico de forma clara, ou por não ter entendido bem o que está sendo perguntado.

Por isso, outro segredo para se dar bem nessa prova é separar um tempo de estudos para investir na sua redação.

Lembre-se de que um raciocínio organizado deve ter sempre uma introdução, o desenvolvimento e a conclusão, e, portanto, habitue-se a responder qualquer questão seguindo essa estrutura lógica. O treinamento leva à perfeição!

concurso para juiz federal

Tenha paciência

O último segredo para se dar bem no concurso para a magistratura federal é ter muita paciência.

Como mencionamos anteriormente, a aprovação para esse cargo é um projeto de longo prazo: o tempo de estudos necessário para se tornar juiz federal é, em média, de 3 anos — isso com dedicação integral de 8 horas de estudo por dia, o que não é a realidade de grande parte dos candidatos.

Por isso, é importante manter em mente que a estrada até a aprovação é longa, e serão necessários muito comprometimento e disciplina para conseguir se manter na rotina de estudos planejada.

Durante um tempo, você deverá abrir mão de muita coisa para dar preferência aos estudos, mas é só ter um pouco de paciência e se lembrar de que essa é uma fase temporária.

É claro que existirão fases de desânimo, o que também é bastante comum se você dedica tanto tempo da sua vida a um projeto que demora a se realizar; contudo, mais uma vez, tendo paciência e seguindo a estratégia planejada, a aprovação é inevitável.

Por fim, é importante lembrar que essas são apenas algumas dicas para te ajudar a organizar uma boa rotina de estudos que leve à aprovação no concurso para juiz federal.

Setredos dos Concursos

Não existe nenhuma fórmula mágica para isso, já que o que funcionou para um candidato, pode não funcionar para o outro.

Por isso, o que importa é encontrar o seu método ideal de preparação, descobrindo o que funciona para você!

Quer ficar por dentro de mais dicas como essas? Assine a nossa newsletter e receba todo o conteúdo do blog com exclusividade!

Atenciosamente,

Léo oliveira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.