Alimentos: Descubra agora, tudo que prejudica os seus estudos!

Imagine a seguinte cena: depois de ler com cuidado o edital da prova para a qual está se preparando, você traça um plano de estudos minucioso, estabelece metas bem elaboradas usando o método SMART e coloca tudo isso em um cronograma perfeito!

Mas na hora de colocar esse plano em ação e começar a estudar, as coisas começam a dar errado: você não consegue se concentrar, fica com sono só de olhar para os livros e, no final da semana, não dá conta de cumprir nem metade das suas metas.

Essa cena assustadora é mais comum do que parece, no entanto, o que pouca gente sabe é que suas causas nem sempre são psicológicas, já que podem estar ligadas a algo bem simples: a sua alimentação!

Sabe aquela frase famosa que diz “mente sã em corpo são”?

Pois é, apesar de ser bem antiga, ela ainda é verdadeira, e se a sua saúde não estiver em dia os estudos podem sim ficar cada vez mais complicados.

Antes de se desesperar e pegar o telefone para marcar um horário no nutricionista, porém, continue lendo o nosso post de hoje.

Nele, compartilhamos com você os principais alimentos que prejudicam os seus estudos para você excluí-los da sua dieta o quanto antes. Fique de olho nestes vilões:

alimentos gordurosos

Alimentos gordurosos

Em meio à maratona de estudos para dar conta de todas as disciplinas do edital, quem é que tem tempo de preparar a própria comida?

Nesse cenário, dar uma passadinha no fast food mais próximo pode parecer uma ótima solução para resolver a questão de se alimentar o mais rápido possível, de modo a poder voltar aos livros e apostilas em minutos.

Mas será que essa é mesmo uma boa opção?

Dois estudos realizados no Reino Unido já mostraram os efeitos pra lá de negativos desse tipo de alimento no aprendizado.

Em ambos, foi medido o QI de criancinhas britânicas logo depois do almoço, e os resultados foram de arrepiar: quem tinha se empanturrado de hambúrguer e batata frita teve desempenho consideravelmente pior do que os pequenos que tinham comido uma refeição saudável e nutritiva.

A conclusão das pesquisas leva a crer que os alimentos gordurosos e de baixo valor nutricional — entre eles chips, fast food, salgados fritos e lanchinhos industrializados — podem prejudicar a nossa capacidade cognitiva, isto é, de adquirir conhecimentos.

Para garantir um bom desempenho nos estudos então, a dica é evitar ao máximo esse tipo de comida e tentar manter uma dieta mais “fit”, pelo menos na época da preparação para o exame.

Quem sabe, no final, você não decide aderir de vez a esse estilo de vida?

bebidas alcoolicas

Bebidas alcoólicas

Todo mundo — pelo menos entre os maiores de idade — conhece os efeitos do álcool no organismo, não é?

Mas você sabia que exagerar nos drinks durante a preparação para uma prova pode afetar o seu desempenho?

Isso acontece porque estudar para uma prova longa e com muita matéria exige um intenso trabalho da sua memória, que precisa passar as informações obtidas nos estudos da memória de curto prazo para a memória de longo prazo — do contrário, você precisaria rever todo o conteúdo algumas horas antes do exame para se lembrar de tudo o que aprendeu, o que, convenhamos, é humanamente impossível.

De qualquer forma, o importante aqui é saber que, durante a sua preparação, o álcool pode atrapalhar essa passagem das informações de uma memória para a outra, colocando alguns dias de aprendizado a perder.

Isso não quer dizer que você precisa se abster totalmente da bebida até o dia da prova, mas evite o excesso e consuma-a somente nos finais de semana e dias livres pode prevenir problemas de esquecimento durante os estudos.

cafeina

Cafeína

Sim, a cafeína pode ser de grande ajuda na hora de despertar o cérebro para começar a estudar pela manhã, mas não é para usá-la como substituto da água nem injetá-la na veia para acelerar o metabolismo não, viu?!

Se o cafezinho de manhã cedo é uma ótima maneira de estimular um bom rendimento no início do dia, consumir mais de uma xícara da bebida e continuar bebendo café de tarde e de noite são péssimas ideias para quem está precisando se preparar para um exame exaustivo.

Essa restrição tem dois motivos.

O primeiro deles é que a cafeína, apesar de dar aquele empurrãozinho para te ajudar a acordar, funciona mais ou menos como uma montanha-russa: depois que a sua energia sobe, estimulada pela substância, ela vai sim sofrer uma queda inevitável, por isso usar o café para se manter desperto quando você está com muito sono só funciona se ficar bebendo café constantemente.

Em segundo lugar, não se esqueça de que dormir bem é fundamental para reter as informações que você obteve nos estudos na memória, e se o café estiver atrapalhando seu sono de noite, o melhor é cortá-lo de vez.

Vale lembrar ainda que não é só no café que a cafeína está presente, hein?

Refrigerantes de cola, guaraná, chá-preto e qualquer outro alimento ou bebida estimulante devem ser evitados ao máximo durante a noite enquanto você estiver estudando.

açucar em excesso e os estudos

Açúcar em excesso

O açúcar, assim como a cafeína, é outro alimento que, quando falamos de estudos, tem duas faces, uma que pode te ajudar e outra que pode te atrapalhar muito.

Como ele dá energia e estimula a circulação sanguínea, o açúcar pode te ajudar a dar aquele “clique” no cérebro para acordar, raciocinar e conseguir resolver uma questão difícil, por exemplo.

Por esse motivo, levar algumas balinhas para oxigenar a cabeça na hora da prova pode ser uma boa, e até na resolução de exercícios antes do grande dia pode ser interessante consumir um docinho pequeno.

Por outro lado, essa energia fornecida por alimentos com alta concentração de açúcar tem efeito bem parecido com o da cafeína: depois do pico de atividade gerado na massa cinzenta, seus neurônios vão experimentar uma quedinha na performance, resultado do efeito “montanha-russa” de que falamos antes.

Sabe quando uma criança come muitos doces, fica extremamente agitada e depois fica exausta e dorme?

É mais ou menos isso que acontece com você depois de comer uma barra de chocolate ou um pacote inteiro de biscoitos recheados.

Uma estratégia interessante com relação ao açúcar, então, pode ser consumir só açúcares “bons” durante a preparação (estamos falando principalmente das frutas, que te dão a energia de que você precisa sem estimular o efeito montanha-russa) e levar uma bala ou pedacinho de chocolate para a prova só para o finalzinho, na hora de resolver as questões mais difíceis, que você deixou para responder por último.

Assim, você tem energia durante os estudos, sem se prejudicar com os picos e quedas das coisas muito doces, e pode usar a vantagem do estímulo na hora final da prova sem sofrer com o momento da baixa.

sal e os estudos

Sal demais

O sal é conhecido como vilão da pressão arterial e ainda pode aumentar o risco de você ter pedras no rim, insuficiência renal e doenças autoimunes.

Tudo isso, é claro, pode levar a uma hospitalização que vai interromper e provavelmente arruinar a sua preparação para a prova.

Como se não bastasse, o sal tem outro probleminha que o coloca na nossa lista de alimentos que prejudicam os seus estudos: por te deixar desidratado, ele pode piorar a sua concentração ou, ainda, te dar tanta sede que você vai precisar parar para beber água e ir ao banheiro toda hora.

Parece bobo? Mas saiba que essa necessidade de esvaziar a bexiga pode se tornar um perigo na hora da prova, já que as idas ao banheiro em exames como de concursos públicos ou do ENEM são processos demorados e burocráticos, que tomam tempo precioso de resolução das questões.

Durante os estudos, as interrupções frequentes para ir pegar mais água e ir ao banheiro também podem atrapalhar seu cronograma e impedir que você cumpra suas metas conforme o planejado.

Em última instância, essas pausas indesejadas podem criar uma situação de pânico pela falta de tempo que vai te prejudicar ainda mais.

Ou seja, de hoje até o momento em que você entregar a prova para o examinador, limite seu consumo diário de sódio a uma colher de chá por dia (que é o recomendado pelo Ministério da Saúde) e fuja de alimentos ricos nesse mineral, como os industrializados, ok?

alimentos dificeis de digerir

Alimentos difíceis de digerir

Sabe aquele sono incontrolável depois do almoço ou aquela sensação de mal-estar no estômago que não te deixa se concentrar nos estudos?

Esses sintomas podem estar sendo causados por alimentos pesados ou que irritam seu sistema digestivo.

Além dos alimentos gordurosos, como carnes e frituras, que exigem muita energia na digestão e, por isso, podem te deixar muito sonolento, outras comidas que têm essa característica são o leite integral, por causa do excesso de lactose, e o milho, por causa da celulose.

Comida apimentada demais também pode te dar azia e até refluxo, além de aumentarem o mal-estar causado pelo calor nos dias mais quentes, por isso maneire na comida indiana ou mexicana na época da preparação!

Manter a saúde no período de estudos para a prova é essencial para conseguir render conforme o esperado e fazer um bom exame no grande dia, mas além disso, esse pode se tornar um hábito para toda a vida!

Invista em uma dieta balanceada durante a sua preparação, coloque alimentos que estimulam a memória no seu cardápio (chocolate amargo e peixes são alguns deles), inclua um tempinho para praticar atividades físicas no seu cronograma e nunca subestime os cuidados com a sua saúde em prol dos estudos: essa atitude pode se tornar um verdadeiro tiro no pé!

E você, sente que há outros alimentos que prejudicam os seus estudos?

Então conte para a gente nos comentários, pode ser que essa informação também ajude outros concurseiros por aí!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.