Concurso do INSS: fique por dentro!

Se você quer virar um expert no Concurso do INSS, e saber todos os detalhes para obter um melhor desempenho nesse concurso, você veio ao lugar certo!

Como muitos sabem, o Instituto Nacional do Seguro Social, mais conhecido pela sigla INSS, é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Previdência Social.

Ele é responsável pelas concessões de aposentadorias, pensões por morte e outros benefícios previdenciários aos quais os trabalhadores têm direito.

Segundo dados do Ministério da Previdência, o INSS possui mais de 30.000 servidores em caráter efetivo e há uma carência de aproximadamente 1.800 servidores em todo o país.

Isso sem falar nos servidores que se aposentam todos os anos, aumentando a necessidade de novas nomeações.

Com o vencimento do último concurso feito em 2011 para os cargos de técnico e perito médico, há estimativas de que o próximo concurso tenha seu edital publicado no segundo semestre de 2015.

O concurso para o preenchimento de vagas de analista ainda não teve sua validade expirada, mas isso não impede que um novo concurso também seja feito para esse cargo.

Dos postos que devem ser abertos, estão cotadas, aproximadamente, 2.000 vagas para técnico do seguro social, 1.500 vagas para analista e 1.000 vagas para perito médico previdenciário.

Para aqueles que desejam concorrer às vagas do cargo técnico, é exigido nível médio de formação, com remuneração em torno de R$5.016,00, já incluído R$373,00 de vale alimentação.

Para o cargo de analista, é necessário grau de escolaridade superior e a remuneração é de R$7.520,00, também já incluído o auxílio-alimentação.

As vagas de perito médico, por sua vez, oferecem remuneração de R$11.225,00.

Além disso, é importante atentar para o detalhe de que todos os concursados empossados pelo INSS se submetem ao regime estatutário de trabalho, ou seja, possuem estabilidade após o cumprimento do estágio probatório, só podendo ser demitidos após sentença judicial transitada em julgado, procedimento administrativo no qual seja assegurada ampla defesa ou, em caso de contingência de gastos, em situações muito específicas previstas na Constituição Federal.

E aí, você também está interessado neste concurso?

Então confira aqui 6 dicas para conquistar de vez a tão sonhada vaga no INSS!

INSS

Analise o último edital e descubra o perfil da banca organizadora do Concurso do INSS

Uma preciosa dica para qualquer concurso que você queira fazer é: sempre analise com cuidado o edital do último concurso.

Ele traz informações importantes como, por exemplo, qual banca examinadora foi a responsável pela organização do concurso, qual foi o conteúdo programático, como foi a divisão e peso das questões etc.

Pelo último edital do ano de 2011, para os cargos de técnico e perito médico, pode-se perceber que a banca organizadora foi a Fundação Carlos Chagas – FCC, e isso é uma ótima notícia.

A FCC tem como característica a elaboração de questões bem objetivas e concisas, o que por um lado é uma vantagem para os candidatos, uma vez que as questões não demandam muito tempo para serem resolvidas.

Além disso, a prova para o cargo técnico foi composta por 60 questões e teve uma duração de 3 horas.

Assim, para cada questão, o tempo médio de resolução foi de 3 minutos, o que pode ser considerada uma média razoável, tendo em vista a complexidade e extensão das questões elaboradas pela Fundação Carlos Chagas.

Analisando o edital também pode-se perceber que o conteúdo programático não foi extenso, sendo exigido dos candidatos conhecimentos sobre a Língua portuguesa, Raciocínio lógico, Informática, Noções de Direito Constitucional, Ética no Serviço Público e Conhecimento específico sobre o histórico e a legislação previdenciária do país.

Já no edital para o cargo de analista, publicado em 2013, a banca examinadora foi a FUNRIO – Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Assistência da Universidade do Rio de Janeiro que, assim como a FCC, possui questões objetivas e diretas, sem enunciados longos ou que exijam maior capacidade de abstração e análise.

A última prova teve 70 questões objetivas que exigiam conhecimentos em Ética no Serviço Público, Língua Portuguesa, Informática, Noções de Administração e Conhecimentos específicos de cada área.

Ou seja, o conteúdo programático foi muito semelhante ao das provas elaboradas pela FCC em 2011, o que reforça a informação de que estudar pelo ultimo edital é sempre uma excelente forma de dar início à preparação.

A relação candidato/vaga no Concurso do INSS

No concurso do ano de 2008, a banca organizadora do concurso do INSS foi o CESPE/Unb.

Nesse certame, foram oferecidas 2.000 vagas, dentre os cargos técnico e analista.

Na época, foram efetivadas quase 600 mil inscrições, o que resultou em uma relação média de 356 candidatos para cada vaga, caracterizando a concorrência como bem elevada.

No concurso de 2011 que, conforme dito, foi organizado pela FCC, foram oferecidas no total 1875 vagas para técnicos e médicos peritos.

A quantidade de inscrições efetivadas quase atingiu a marca de 1 milhão de inscritos, contribuindo para incrível relação de 602,97 pessoas por vaga!

Já no concurso para analista, em 2013, foram ofertadas 300 vagas e 164.209 pessoas realizaram inscrições, totalizando uma relação de 547,37 candidatos por vaga.

Para o próximo concurso, a disputa não deve ser mais fácil, então você deve se dedicar à melhor preparação que esteja ao seu alcance.

As atribuições dos cargos

Conforme registrado no edital de 2011, o cargo de técnico do seguro social tinha como atribuições o manejamento de processos de concessão de benefícios previdenciários, o exercício de atividades internas e externas ligadas ao suporte e apoio técnico especializado e a execução de atividades de orientação e informação, conforme as diretrizes estabelecidas em atos específicos da autarquia.

Já o cargo de médico perito tinha como atribuições descritas o exercício de atividades médicos-periciais inerentes ao Regime Geral de Previdência Social, compreendendo a emissão de pareceres conclusivos, inspeção de ambientes de trabalho e execução de outras atividades definidas no regulamento do INSS.

O edital de 2013, para o cargo de analista trouxe como atribuições instrução e análise de processos e cálculos previdenciários, de manutenção e de revisão de direitos ao recebimento de benefícios previdenciários, orientação previdenciária e atendimento aos usuários; realização de estudos técnicos e estatísticos e execução, em caráter geral, das demais atividades inerentes às competências do INSS.

Desapegue dos livros

A escolha do material didático para o concurso

Uma das dicas mais relevantes, sobretudo para os iniciantes no mundo dos concursos públicos é a preocupação com a aquisição de um material didático completo.

Tão importante quanto a dedicação, força de vontade e persistência nos estudos, é a qualidade dos materiais utilizados, que faz toda a diferença.

Dê preferência para cursos preparatórios de tradição, sejam eles presenciais ou na modalidade online, e desconfie de cursos muito baratos, pois preços abaixo do mercado podem ser armadilhas que não proporcionarão a você um aprendizado eficiente  e de qualidade.

O equilíbrio emocional

Em concursos públicos, é comum que o candidato se submeta a uma rotina extenuante de estudos, abra mão de compromissos sociais e do convívio familiar, tudo para conquistar um único objetivo: ser aprovado em um concurso tão concorrido e desejado por milhares de brasileiros.

Nessa etapa de vida, é extremamente importante que o concursando não esmoreça e se mantenha firme, a fim de atingir seu objetivo maior.

Para isso, o equilíbrio emocional e o controle da insegurança e ansiedade fazem toda a diferença.

Não adianta nada ser um candidato dedicado, estudioso, que detém o conhecimento técnico para ser aprovado, se ele não detém controle sobre suas emoções, principalmente na hora da prova.

Portanto, em meio aos estudos, é muito importante que o candidato dedique alguns momentos para relaxamento, realizando atividades com as quais ele sinta prazer e convivendo com pessoas queridas.

Lembre-se de que o equilíbrio é parte do caminho para o sucesso!

Conteudo Programático

A organização

Mesmo que o conteúdo programático dos últimos editais dos certames para o INSS não tenha sido extenso, a organização e estruturação semanal de um programa de estudos é de grande valia.

Isso porque os conteúdos possuem uma grande quantidade de detalhes e uma extensa carga de memorização, portanto, apenas um estudo minucioso é capaz de abranger essas peculiaridades.

Para a organização do estudo, o ideal é que seja elaborada uma escala e que em cada semana sejam estudados itens específicos do edital.

É desejável que em cada semana sejam abordados simultaneamente conteúdos diversos, de forma que, por exemplo, haja o estudo simultâneo de mais de uma área de conhecimento.

Isso é útil porque evita o esquecimento dos conteúdos.

Além disso, a organização não se relaciona apenas aos estudos, mas também com a atenção à publicação do edital, com o prazo de inscrições e de pagamento da taxa para realização das provas.

Tanto o comprovante de inscrição quando o do pagamento da taxa devem ser armazenados em local seguro e de fácil acesso para futuras comprovações, caso seja necessário.

Além disso, dirigir-se com antecedência ao seu local de prova pode evitar surpresas indesejadas como dificuldade na chegada a essas regiões devido a congestionamentos no tráfego de pessoas e carros — situação muito comuns em concursos de grande porte como os certames do INSS.

Imagine só a frustração de um candidato que estuda e se organiza durante meses e até anos e que, por descuido, põe tudo a perder porque chegou ao local de prova após o início das provas.

Então não corra esse risco e aja com antecedência.

Ninguém perde por ser precavido! Pense nisso!

Agora, já que estamos falando sobre INSS e aposentadoria…

Gostaria de comentar a respeito de uma dúvida que várias pessoas tem me feito por e-mail.

Aposentados podem fazer Concurso?

Aposentados podem prestar concurso público?

Nossa, essa é uma questão muito interessante…

Inclusive, recentemente, recebi um email de um leitor do blog, que dizia o seguinte:

Prezado Léo , bom dia!
Peço sua ajuda para refletir sobre uma questão .
Vale a pena prestar concurso aos 55 anos de idade e
33 de contribuição na iniciativa privada, levando-se em
conta as regras para aposentadoria do servidor público ?
Bem, para explicar essa questão, vamos explicar tudo desde o início para ficar mais fácil de entender…
Então vamos lá!
É correto afirmar que existem certas restrições para o preenchimento de cargos e empregos públicos.

Muitas delas, até mesmo, vêm registradas nos editais, de forma que por isso sempre é importante ler e entender o que é imprescindível para se ocupar aquele posto em especial, como nível de escolaridade e experiência na área, por exemplo.

No entanto, há outras circunstâncias que podem atrapalhar a posse do interessado, como, por exemplo, quando ele não está em dia com suas obrigações eleitorais ou apresenta suspensão de seus direitos políticos.

Além da idade mínima de 18 anos e com sua aptidão física e mental, o pretendente a cargo público não poderá apresentar mais do que 70 anos, idade quando ocorre a aposentadoria compulsória.

E é justamente nesta questão que muita gente fica com dúvida: os aposentados, mesmo antes de terem 70 anos, podem se candidatar a cargos públicos e fazer os processos seletivos normalmente?

É isso que você vai descobrir no post de hoje. Confira!

E para você entender tudo, vamos ver qual é a regra que está valendo hoje!

Vamos olhar a regra que está valendo:

Aposentadorias Voluntárias
As aposentadorias voluntárias são concedidas aos servidores que manifestem interesse em obtê-las e configuram-se, basicamente, em duas espécies: Aposentadoria por Tempo de Contribuição e Aposentadoria por Idade.

  • Aposentadoria por tempo de contribuição

Concedida aos servidores ativos que implementarem os requisitos exigidos.
Requisitos
Regra Geral

  • Homem – 60 anos de idade e 35 anos de contribuição;
  • Mulher – 55 anos de idade e 30 anos de contribuição;
  • Mínimo de 10 anos de efetivo exercício no serviço público;
  • Mínimo de 5 anos no cargo efetivo.
  • Professores: Idade e tempo reduzidos em cinco anos com efetivo exercício nas funções de magistério.
  • Aposentadoria por idade

Concedida aos servidores ativos que implementarem os requisitos exigidos.

  • Homem – 65 anos de idade;
  • Mulher – 60 anos de idade;
  • 10 anos de efetivo exercício no serviço público;
  • 5 anos no cargo efetivo.

De acordo com a norma sancionada, os servidores públicos federais que têm salários até o teto da Previdência, atualmente em R$ 4.390,24, vão contribuir com 11%, e o governo com 22%. Sobre o valor que exceder a esse limite, a União pagará até 8,5%. Aqueles que quiserem receber acima desse patamar terão, obrigatoriamente, de aderir à previdência complementar.

  • Aposentadoria compulsória

Concedida aos servidores ativos ao completarem 70 anos de idade.

Além disso, com a Lei sancionada em maio de 2012, pela Presidente Dilma Rousseff, que alterou as regras para aqueles que ingressam no serviço público federal a partir da publicação da Lei, de ausência de garantia à aposentadoria integral.

De acordo com a norma sancionada, os servidores públicos federais que têm salários até o teto da Previdência, atualmente em R$ 4.390,24, vão contribuir com 11%, e o governo com 22%.

Sobre o valor que exceder a esse limite, a União pagará até 8,5%.

Aqueles que quiserem receber acima desse patamar terão, obrigatoriamente, de aderir à previdência complementar.

Portanto, não há nada de ilegal ou inconstitucional neste caso.

Inclusive é permitido acúmulo de aposentadoria do INSS com aposentadoria de ente público.

O que não pode é quem se aposentou por regime próprio de previdência de servidor público ser aprovado em concurso, tomar posse e continuar recebendo proventos de aposentadoria e vencimento do novo cargo.

Nesse caso, se quiser continuar a trabalhar terá de abrir mão da aposentadoria de ente público.

Exceção feita a cargos que podem ser acumulados nos termos da constituição como professor, profissionais de saúde e acumulação de cargo técnico com professor.

inss

Os aposentados pela iniciativa privada

Quando alguém se aposenta pela iniciativa privada, pode tranquilamente prestar um concurso público e tomar posse, caso seja aprovado.

Isso porque o candidato recebe benefícios provenientes do regime previdenciário do INSS, que segue de forma independente do regime especial dos servidores públicos.

Inclusive, vale dizer que, quando esta pessoa se aposentar no ente público, perceberá também a respectiva aposentadora proporcional pelo tempo lá trabalhado, além dos auxílios anteriores.

Sendo assim, não existe impedimento à acumulação de aposentadoria do INSS e a aposentadoria própria dos servidores públicos.

Os aposentados do setor público

Caso diferente é aquele de agente público aposentado, para o qual a Constituição da República veda a percepção simultânea de proventos de aposentadoria de cargos, empregos ou funções de caráter público, no teor do início do artigo 37, § 10 do texto constitucional.

Isso quer dizer que o candidato que tiver se aposentado em regime próprio como servidor público não poderá tomar posse no novo concurso que tiver passado e continuar a embolsar, ao mesmo tempo, os proventos de aposentadora e os vencimentos no recente cargo.

Se ele quiser continuar a trabalhar no cargo onde tomou posse, terá que abdicar da aposentadoria e optar pelos vencimentos do cargo de origem ou do atual.

As exceções para a acumulação de cargos públicos

A regra é a da não acumulação, porém, existe uma ressalva à possibilidade de percepção simultânea de lucros nos cargos acumuláveis na forma da própria Constituição, os cargos eletivos e os cargos em comissão, de livre nomeação e exoneração.

As exceções que são permitidas vêm indicadas no artigo 37, XVI, que são: dois cargos públicos de profissionais de saúde; dois cargos públicos de professor; um cargo de professor e outro cargo técnico ou científico na área de pesquisa; ou cargos de juiz e promotor e outro de professor.

Portanto, em casos como esses, será viável que o candidato perceba ambos os vencimentos, até o teto que o serviço público impõe.

Se você é aposentado e o edital para o concurso que você pretende fazer trouxer alguma exigência abusiva ou que não esteja prevista na lei, você poderá ingressar com uma ação judicial para adequadamente cobrar seus direitos.

Examine com cuidado sua situação, se é pela iniciativa privada ou pelo regime público, e escolha o melhor caminho para você!

Assim, na minha humilde opinião, ainda vale a pena você prestar concurso público, até mesmo porque a sua compulsória será aos 70 anos de idade, e até lá poderá trabalhar no serviço publico normalmente e contribuir para uma previdência privada para complementar a sua aposentadoria.

Você ainda tem alguma dúvida, não deixe se contar pra nós através dos comentários!

E então, você já está se preparando para o concurso do INSS? Já concorreu a essa certamente antes? Compartilhe a sua experiência através dos comentários!

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

Espero ter te ajudado, qualquer coisa pode deixar um comentário no blog.

Sucesso e bons estudos!

Atenciosamente,

Léo Oliveira

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.