Concurso do TCU : O seu Guia rápido de preparação!

Extra! Extra!

Finalmente acabou a espera para os candidatos que aguardavam ansiosamente o concurso para o Tribunal de Contas da União (TCU), que já havia sido autorizado em julho de 2014.

Como muitos leitores me pediram, eu preparei esse artigo exclusivamente para falar sobre esse concurso.

Com excelentes salários e oportunidades esse concurso tem atraído os olhares de muita gente principalmente, nesse ano de 2015.

A economia do país não vai bem e com inflação alta, as pessoas estão correndo da incerteza e buscando cada vez mais por oportunidades de emprego como esta, que possui salário alto e estabilidade.

O TCU publicou edital no início deste mês de junho de 2015, abrindo processo seletivo para o provimento dos cargos de técnico e auditor federal, exigindo-se, respectivamente, formação no ensino médio e superior em qualquer área.

No total, estão previstas 108 vagas e mais a formação de cadastro de reserva.

A remuneração, por sua vez, varia de R$7,8 mil a R$14 mil, além dos benefícios.

A jornada é de 40 horas semanais.

Confira, a seguir, tudo o que você precisa saber para se preparar para as provas e aumentar as chances de aprovação no Concurso do TCU!

Por que se inscrever no concurso do TCU?

É claro que o concurso do TCU atrai muitos candidatos de todo o país por todas as vantagens inerentes ao funcionalismo público que já estamos cansados de saber.

Poderíamos citar, apenas a título de exemplo, a estabilidade, a possibilidade de progressão dentro da carreira, a remuneração inicial acima dos padrões do mercado, dentre tantas outras vantagens conferidas aos servidores estatutários.

Mas, além disso, você sabia que o órgão oferece algumas vantagens bastante peculiares para seus servidores?

Mesmo dentro dos parâmetros do setor público, o TCU tem se destacado como uma referência quando o assunto é qualidade de vida no ambiente de trabalho.

Em uma pesquisa realizada pela Revista Você S/A, o Tribunal de Contas da União foi considerado a melhor instituição pública para se trabalhar no ano de 2014, atingindo 77,8 pontos.

Da pontuação total, inclusive, as notas mais altas foram dadas pelos próprios servidores do Tribunal. Isto é: de acordo com os próprios funcionários, o Tribunal de Contas se destaca por ter um bom ambiente de trabalho.

Outros índices que chamaram a atenção foram a identidade do servidor com a instituição, a carreira e a excelência na estratégia e gestão.

No mais, como qualquer outro concurso no âmbito federal, o candidato tem a oportunidade de se valer dos editais de remoção para ser alocado em outras unidades da federação.

Isso representa uma boa oportunidade para quem deseja viajar e conhecer o Brasil.

Ademais, mesmo que a intenção seja ficar em sua cidade natal, é possível solicitar remoção para ela mesmo tomando posse no Distrito Federal ou em outros Estados depois de algum tempo de exercício efetivo das funções.

O que esperar da banca organizadora?

A banca organizadora do concurso do TCU é a CESPE/UNB e, de acordo com as informações do edital, não tivemos maiores surpresas quanto ao estilo de avaliação.

Em outras palavras, a prova será aplicada de acordo com o padrão clássico da CESPE em que o candidato deve ler o enunciado atentamente e julgar se a afirmativa é certa ou errada.

No que diz respeito aos critérios de avaliação das questões objetivas também não tivemos surpresas: um ponto somado para cada acerto e um ponto subtraído para cada questão errada, de modo que uma errada anula uma certa.

Além disso, os candidatos para ambos os cargos deverão fazer provas discursivas sobre conhecimentos gerais e específicos a cada função.

Por fim, resta sinalizar que a CESPE costuma elaborar questões com enunciados longos, complexos e de elevada qualidade técnica, avaliando em profundidade os conhecimentos do candidato.

Essa combinação de fatores faz com que o candidato deva prezar pela cautela e pensar duas vezes antes de chutar na prova objetiva.

Já na prova discursiva, recomenda-se fincar a argumentação no objeto da questão para não fugir do tema, mas também não podemos deixar de apresentar diferentes pontos de vista e interpretações de um mesmo fenômeno.

Novidades trazidas pelo edital

A maioria dos candidatos se prepara para o concurso, seja ele qual for, tomando por base os editais e provas anteriores.

Não há nada de errado em fazer isso, muito pelo contrário, é o mais indicado. No entanto, os editais e, mais especificamente, os conteúdos programáticos, não costumam ser exatamente os mesmos de um concurso para outro.

Pequenas alterações são sempre esperadas e com o concurso que o TCU tem planejado para 2015 não foi diferente, como veremos mais adiante.

Na reta final é importante focar nesses detalhes da preparação, pois eles permitem que o candidato que vem se preparando há menos tempo tenha uma vantagem comparativa com relação ao candidato que já vem estudando de longa data.

Imaginemos, por exemplo, que o edital traga cinco pontos novos, que não faziam parte do conteúdo programático no concurso anterior.

Com relação a este segmento da matéria, todos os candidatos terão exatamente o mesmo tempo para estudar, isto é: o tempo compreendido entre a publicação do edital e a aplicação da prova.

Em suma, se você já vem estudando há muito tempo, certamente não vai querer ser ultrapassado por um candidato menos preparado justamente na reta final da corrida e, se por outro lado, não está tão seguro assim, esta é uma boa oportunidade para se destacar dos candidatos mais fortes.

Isso reforça ainda mais a necessidade da leitura atenta do edital.

Podemos afirmar que houve pouquíssimas surpresas nos dois editais divulgados pelo Tribunal.

Contrariando a expectativa de muitos, não saiu vaga para tecnologia da informação, mas sim para auditoria de TI (ampla concorrência).

No mais, o edital de auditoria governamental acabou por promover “estatística e análise de dados” de mero tópico para uma disciplina.

Houve, ainda, algumas alterações no peso de cada matéria, mas podemos afirmar que a maioria dos conteúdos se manteve.

A importância da preparação “pós-edital”

A data prevista para a realização da prova é 16 de agosto de 2015.

Isso significa que o candidato tem pouco mais de um mês para implementar suas estratégias finais de preparação.

O concurso do TCU vai exigir mais de dez disciplinas diferentes dos candidatos, algumas delas com grande profundidade.

A verdade é que não dá para aprender Direito Constitucional, Matemática Financeira ou Contabilidade em um mês.

O candidato deve aproveitar esse mês que antecede a prova para fixar o conteúdo, revisar pontos estratégicos das matérias e estudar as novidades.

Uma boa dica nesse momento é montar uma tabela ou um resumo com as chamadas “decorebas”, (informações que devem ser memorizadas pelo candidato).

Avaliando e ajustando a estratégia

Um dos grandes segredos para a aprovação é fixar um objetivo e realizar avaliações constantes para mensurar a distância entre o lugar em que estamos agora e o nosso objetivo.

Isso pode ser feito por meio da resolução de uma bateria de exercícios (preferencialmente elaborados pela CESPE/UNB), provas anteriores ou simulados preparados por professores experientes e que tenham um nível de dificuldade compatível com o cargo almejado.

O candidato deve procurar observar se está se aproximando ou se afastando da aprovação e em que velocidade isto acontece.

Uma boa forma de resumir seria perguntar para si mesmo o seguinte:

Se eu continuar a fazer exatamente o que estou fazendo agora durante os próximos dias, quanto tempo seria necessário para atingir meu objetivo?

Isso vale tanto para o concurseiro iniciante, que dá os primeiros passos, como para aquele que se encontra no mês final de preparação com o edital já publicado.

Tirando proveito da tecnologia

O recurso mais precioso para todo e qualquer concurseiro é o tempo.

Para os que estão no estágio final de preparação, a administração do tempo é ainda mais importante, levando em consideração que uma horinha a mais de estudo já pode fazer muita diferença.

Nesse sentido, apostilas digitais, aulas online e as tradicionais ferramentas de busca na internet podem ser poderosos aliados na hora de poupar tempo.

Estudar por um material digital pode se mostrar muito útil quando o objetivo é ter uma fonte rápida de consulta, já que o candidato pode percorrer todo o material em poucos segundos realizando uma busca por palavra-chave.

A substituição de um curso presencial por um online também pode ajudar o candidato a ganhar o tempo que perderia com deslocamento e trânsito.

Por fim, a internet pode tornar muito mais fácil uma pesquisa de jurisprudência ou por qualquer tipo de informação necessária, devendo o candidato tomar cuidado apenas com a credibilidade da fonte.

Em conclusão, podemos dizer que o Tribunal de Contas da União oferece um excelente ambiente de trabalho para seus servidores, motivo pelo qual vale muito a pena se dedicar aos estudos e buscar a aprovação, apesar da grande concorrência.

A CESPE/UNB, banca responsável pelo certame, costuma ser temida pelos candidatos por descontar pontos por cada questão errada, mas, por outro lado, elabora questões de qualidade, o que sempre facilita o trabalho de quem se submete às avaliações.

Tendo sido publicado o edital no início do mês de junho, resta ao candidato se dedicar ao estudo das surpresas contidas no edital e continuar a fixar o conteúdo das outras matérias.

E se você está nessa jornada, desejamos boa sorte com os estudos e gostaríamos de lembrar que estamos aqui para te ajudar no que for possível, portanto, se você ficou com alguma dúvida ou gostaria de compartilhar alguma questão, não deixe de escrever para nós através dos comentários!

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

Espero do fundo do coração que gostem desse artigo!

Não deixe de compartilhar com os amigos e deixar o seu comentário!

O seu feedback é muito importante para mim…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.