Devo estudar pelas provas anteriores do concurso que vou prestar?

Ser aprovado em um concurso público pode ser o ponto de virada na vida de alguém.

Principalmente se estivermos falando de pessoas que concorrem a uma vaga por verdadeira vocação e não apenas pelos bons salários e benefícios que um cargo público pode oferecer.

Mas independente de em qual dos dois perfis a pessoa se encaixe, o que todo mundo sabe é que para conseguir aprovação na tão concorrida bateria de provas é preciso estudar pra valer.

Mas será que existe alguma dica especial?

Professores de cursinhos preparatórios do Brasil inteiro garantem: estudar por meio de provas anteriores pode te ajudar muito.

Será que essa dica procede? Devo estudar pelas provas anteriores do concurso que vou prestar?

Descubra na leitura do nosso artigo de hoje!

Conhecendo o estilo da banca examinadora

Uma das coisas mais importantes ao prestar um concurso é conhecer a fundo o estilo da banca examinadora (que é o órgão responsável pela elaboração das provas, organização e divulgação do concurso).

Não basta apenas estudar o conteúdo do edital, é preciso conhecer a forma como a banca elabora as questões e também como ela cobra o conteúdo.

Mas para traçar esse perfil, vai ser preciso estudar as provas anteriores.

Ao responder questões de exames passados, o concurseiro acaba entendendo quais tópicos normalmente são cobrados; como a banca elabora a questão (se de forma objetiva ou mais extensa); se ela costuma usar “pegadinhas”; se há muitos registros de questões anuladas ou mal elaboradas e assim por diante.

Provas anteriores são sinônimo de questões ultrapassadas?

Ao contrário do que muita gente pensa, as questões contidas nas provas de concursos anteriores normalmente não estão ultrapassadas.

Não é porque o concurso já passou que a questão está necessariamente obsoleta ou errada.

Mas é claro que pode haver casos em que isso acontece.

Esse tipo de situação é bastante comum em questões que tratam de legislação (como, por exemplo, questões relacionadas à Constituição, à Lei de Diretrizes e Bases da Educação, entre outras).

Isso porque pode ter havido atualizações, emendas constitucionais, e demais ajustes que, se você não tomar cuidado, podem te induzir ao erro.

Mas isso é fácil de resolver: basta ficar atento ao conteúdo programático da sua prova e acompanhar notícias sobre qualquer mudança.

Estudar a letra da Lei (ou seja, ler a legislação na íntegra) também ajuda.

Mas se ainda assim você estiver na dúvida o conselho é: não faça esse tipo de questão, pule para outra.

Banca e tradição

Outra coisa importante que você deve saber é que as bancas vão construindo aos poucos uma espécie de tradição.

Com o tempo elas acabam se “especializando” em preparar concursos para determinadas áreas e em desenvolver provas com um estilo específico.

É isso que faz a “fama” da banca.

Se você estiver preparado para esse “estilo” ou seja, se tiver estudado seguindo a direção que as questões anteriores te ajudaram a traçar, certamente o seu índice de acertos será superior ao de um candidato que simplesmente ignora esse fato.

É provável que você observe também que algumas questões praticamente se repetem em várias provas de anos diferentes.

Isso já é uma dica de que a banca gosta de cobrar aquele conteúdo, e é claro que, sabendo disso, você vai estudar mais aquele ponto específico, não é mesmo?

Além disso uma grande dica que eu posso te dar é que, fazendo questões das provas anteriores você se acostumará com os tipos de questões da banca e após realizar alguns testes bem como simulados com provas anteriores ou questões do mesmo nível, você se tornará uma máquina de resolver questões da sua banca!

Muitos concurseiros falham justamente nesse ponto, pois não levam a sério a necessidade de fazer as provas anteriores e não dão a devida atenção a essa importante etapa, na sua preparação para concurso! 😉

Em termos gerais fique bastante atento a todos os detalhes que as provas mais antigas podem trazer e beneficie-se deles, é claro!

E você, acha que vale a pena estudar pelas provas anteriores? Tem alguma sugestão sobre este assunto? Escreva para a gente através dos comentários!

Espero que tenham gostado do artigo.

Sucesso e bons estudos!

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

3 comentários em “Devo estudar pelas provas anteriores do concurso que vou prestar?”

  1. Ivan Sales Barbosa

    Olá Sr Léo parabéns pelo blog.
    Sim estudar pelas provas anteriores é uma das melhores “manhas” pra passar em um concurso.
    Um bom exemplo são os concursos da FFAA que o Sr deve conhecer bem.
    Não são uma banca em si mas sao muito parecidas as provas pelo que vi nas 3 forças.
    Hoje em dia os sites de venda de apostilas tem apostilas por exemplo pra concursos da Cesgranrio, UFPR, FCC, etc. Vale a pena a pessoa comprar uma da empresa que ela tiver mirando.

    1. Olá Ivan tudo bem?

      Muito obrigado pelo elogio!

      Muito bacana sua dica, ela realmente pode ser utilizada como ferramenta pelo candidato na sua preparação.

      Usar uma apostila de qualidade que dê exemplos de questões específicas de uma banca é uma excelente maneira de se especializar e mais uma técnica de preparação para concursos em geral.

      Muito obrigado pelo seu comentário, espero vê-lo mais vezes por aqui.

      Atenciosamente,
      Léo Oliveira

  2. Quando o concurso que pretendo prestar, só possui uma prova(em 2009) para a determinada área, o que devo fazer? Eu devo fazer questões da banca, que não necessariamente são questões da área que quero? (obs: esse é meu primeiro concurso, não sei muito bem que linha devo seguir.)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.