Dúvida de concurseiro: começar pelas questões mais fáceis ou não?

Quem presta concurso não tem dúvidas apenas em relação às matérias.

Seria bem melhor se fossem só essas, mas há outras que acabam povoando a cabeça de qualquer um que fará uma prova.

E uma dessas dúvidas aparece logo no dia da prova, quando todo o período de estudos já ficou para trás.

Afinal, devo começar pelas questões mais fáceis ou pelas mais difíceis?

Sabemos que o planejamento para um concurso começa antes dos estudos efetivamente se iniciarem e passa por todas as semanas de dedicação aos livros, apostilas e aulas, e culmina no dia da prova.

Então qual é a melhor estratégia para realizar a prova? Hoje vamos tirar uma dúvida de concurseiro muito comum: Começar pelas questões difíceis ou pelas questões mais fáceis?

Por isso, essa preocupação faz todo o sentido.

Você também tem essa dúvida? No post de hoje explicaremos qual o melhor método de realizar as questões de uma prova e o porquê. Acompanhe com a gente!

Tensão inicial

Começar pelas questões que você considera mais fáceis é a melhor estratégia para fazer a prova.

São muitas as razões para isso e você vai conhecê-las agora!

No dia do concurso, e nos momentos iniciais da prova, é bem possível que você fique um pouco nervoso.

Nada mais normal, uma vez que você está há semanas, meses ou anos se preparando para esse momento.

Logo, seu desempenho nas primeiras questões tende a ser um pouco pior.

Mesmo que você seja a calmaria em pessoa, os primeiros minutos de uma avaliação podem não ser o melhor momento para pegar as questões mais difíceis, pois é um período em que você ainda está se concentrando.

Seu cérebro ainda não imergiu completamente na prova, e você pode ficar um pouco mais disperso e deixar detalhes importantes de lado.

Por isso mesmo, é melhor que você comece pelas questões mais tranquilas, pois é mais provável que você consiga se sair melhor nelas, nesse momento de concentração ainda parcial, do que nas mais complicadas.

Além disso, é uma boa estratégia para aquecer seu cérebro para as mais difíceis, quando ele deverá estar bem ligado e em um ritmo mais intenso.

Caminho da confiança

Se você não se enquadra na categoria de estudantes que ficam nervosos com a prova, há um jeito bem simples de passar para o time dos ansiosos: começando pelas questões difíceis.

Isso acontece porque, se você resolve iniciar pelo caminho mais complicado, pode acabar se assustando com a dificuldade em resolver os exercícios.

Assim, fica apenas a um passo de se desesperar e perder a confiança.

Chegando aos tópicos mais fáceis, você pode acabar não conseguindo resolvê-los da melhor maneira, já que sua concentração e seu emocional não são mais os mesmos.

Comece pelas mais fáceis e veja sua confiança e seu ânimo crescerem progressivamente!

Isso será muito importante para as próximas horas e para enfrentar os desafios que vêm pela frente.

Garantia de sucesso

Começar pelas questões mais fáceis é interessante também por uma razão bem simples: fazendo-as de cara e deixando-as prontinhas, você garante alguns pontos preciosos, não é mesmo?

Imagine o seguinte cenário: você decide começar pelas mais difíceis, agarra nelas e vai fazer as fáceis por último, na correria — errando muitas delas, consequentemente.

Temas que você sabia de cor e salteado, e cujas questões eram certeza de boa pontuação, subitamente se transformam no calvário da sua prova.

Não deixe isso acontecer!

Faça as questões mais fáceis no começo e garanta seus pontos.

A partir daí, parta com tranquilidade para conquistar a próxima etapa, que é a dos exercícios mais difíceis.

Sem demora

É claro que você deve ser cuidadoso e planejar direito o seu tempo durante a prova.

Por mais que seja interessante começar pelas fáceis, não é recomendável gastar tempo demais nelas e deixar as difíceis para o último momento, quando você estará mental e corporalmente cansado.

Sabendo disso, procure resolver de forma ágil as questões que você domina — mas sem correria, para não errar bobagens.

Se você começar a se demorar muito em um único exercício, deixe-o para o final e busque a resolução dos próximos.

Assim, você não perde tempo e ainda deixa, quem, sabe, algum tempo para fazer uma revisão completa da prova, olhando tudo com atenção.

O que achou do artigo? Se gostou compartilhe com seus amigos!

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

Você também costuma começar pelas questões mais fáceis? O que acha dessa estratégia? Conte para a gente através dos comentários!

1 comentário em “Dúvida de concurseiro: começar pelas questões mais fáceis ou não?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.