Excesso de informação: Descubra agora os segredos que ninguém te conta…

Atualizado em 13/12/2015

Video do Youtube sobre esse assunto:

​Excesso de informação tem sido uma realidade constante na vida de milhares de alunos que estão buscando suas vagas e aprovações em concursos na atualidade…

Todo mundo sabe que estamos vivendo a “era da informação”, na qual é possível descobrir praticamente tudo pela internet e que, ao mesmo tempo, somos bombardeados a todo momento com propagandas, notícias, mensagens, etc.

Uma prova disso é esse exemplo: Você sabia que, uma criança de 7 anos hoje tem acesso a mais informações do que o Imperador tinha no auge do Império Romano???

Incrível isso não é mesmo?!

Embora sabemos que muitas dessas informações não serão utilizadas para nada e nem para desenvolver ideias e raciocínios, ou sequer para aumentar a capacidade dessa criança…Muita gente assim como essa criança, também não vai saber gerenciar adequadamente essa enxurrada de informações e isso acabará resultando negativamente em várias áreas de seu desenvolvimento… E a preparação para concurso está contida nesse contexto…

Para percebermos isso, basta passarmos 5 minutos em alguma rede social para perceber essa cruel realidade, não é mesmo?

Centenas de posts, milhares de imagens, comentários, vídeos e informações que em nada adicionam em nossas vidas, mas que estão ali para tomar o seu tempo e foco na sua preparação…

Nesse cenário, também já é bem conhecido que a quantidade de informações disponíveis nem sempre — ou melhor, raramente — representa a qualidade das mesmas.

E para não ser influenciado por conteúdos sem qualidade ou notícias falsas e fatos distorcidos, só tem uma solução: filtrar tudo com um olhar bem crítico.

Mas, você sabia que essa habilidade é essencial não só para sobreviver às chuvas de informações que recebemos no dia a dia, como também para conseguir estudar para uma prova ou concurso?

Continue lendo esse artigo, que hoje eu vou te mostrar os segredos dos concurseiros de sucesso que não te contam por aí…

Você vai aprender como e por que você deve filtrar o excesso de informação para otimizar sua rotina de estudo e potencializar os seus resultados. Vamos lá?

excesso de informação 3

Por que é importante filtrar informações ao estudar?

Sim, você provavelmente já sabe que precisa exercer o tal “olhar crítico” na hora de ler notícias e estudar assuntos atuais — essa é, inclusive, uma habilidade bastante cobrada em alguns concursos públicos e no ENEM.

Mas não é só na hora de ler o jornal que você precisa usar o seu filtro. Veja só:

Excesso de informação: Como dar conta de todo o conteúdo?

Quem estuda para uma prova que aborda um monte de disciplinas sabe que não é nada fácil reter todo o conteúdo que será cobrado, e se você não souber selecionar as informações mais relevantes de cada matéria, é praticamente impossível se dar bem.

Filtrar, nesse contexto, então, significa focar aquilo que você tem que saber para a prova e conseguir transformar o monte de informações que entra na sua cabeça pelos estudos em bloquinhos compactos e úteis que vão te ajudar a se lembrar de tudo mais tarde.

Não ficar estagnado nem se desesperar

Da mesma forma que filtrar significa guardar o que é útil, também tem a ver com descartar aquilo que é inútil, certo?

Afinal, não dá para decorar toda a matéria de cabo a rabo, e tentar fazê-lo só vai te deixar bloqueado e, pior, induzir o pânico.

Para que isso não aconteça, portanto, saiba pinçar o que te interessa em determinada fonte e deixe o resto pra lá sem hesitar: confie na sua capacidade de discernir o que é ou não relevante com base no que você viu no edital da prova e ao longo da sua preparação.

excesso de informação 2

Escolher bem as suas fontes de estudo

Conseguir separar o relevante do desnecessário ao estudar implica usar fontes em que realmente há algo de relevante, não é? E para isso, antes de mergulhar a cabeça nos livros, é preciso conferir se eles são mesmo o que você procura.

Dentre a extensa lista de fontes e informações disponíveis sobre o tema a ser estudado, saiba priorizar:

  • As que mais se alinham ao seu objetivo — como os simulados baseados nas provas anteriores, por exemplo, no lugar dos exercícios soltos;
  • As mais recentes — confira o ano de publicação de um livro ou artigo antes de lê-lo e cheque se não há uma edição mais atual;
  • E, claro, as mais confiáveis — recomendadas pelo próprio edital da prova ou por alguém com experiência no assunto, com comentários, avaliações, etc.

Ignorar informações nocivas

Por fim, falando em informações inúteis, não é só nos livros que elas se encontram.

Boatos sobre pegadinhas e injustiças supostamente cometidas pela banca da sua prova, informações falsas a respeito das regras de seleção e atitudes desmotivantes por parte de amigos e da família também devem ser filtradas para não te abalar, viu?

Seja resiliente e saiba lidar com a pressão externa!

excesso de informação 1

Uma dica rápida: O excesso de informação, também conhecido pela expressão “Information Overload” é um dos principais fatores que fazem com que o candidato perca o foco e diminua a sua motivação nos estudos…

Por isso, muitos acabam totalmente desestimulados frente a tanto material de estudo e apostilas, além de infinitos conteúdos disponíveis na internet…

Saber filtrar as informações corretas pode ser a resposta para todos os seus problemas e consequentemente, a diferença uma preparação de sucesso ou não! Fique ligado! 😉

O que deve ser filtrado na sua rotina de estudo?

Falando agora dos seus estudos mesmo, vamos aprender a diferenciar o tipo de informações você deve guardar daquelas que pode apagar da memória sem medo:

Pontos-chave da matéria

“Obviamente”, você deve estar pensando. Mas como selecionar esses tais pontos-chave?

A minha dica é acreditar que, aos poucos e com muita dedicação, você conseguirá reconstituir parte do conteúdo ou raciocínio cobrado sozinho, na sua cabeça, só de se lembrar de alguma data, palavra ou expressão que resume a matéria.

Por exemplo: ao estudar Física, você não precisa decorar cada palavra das Leis de Newton, mas se conseguir se lembrar de que elas são, respectivamente, o “princípio da inércia”; “força é igual a massa vezes aceleração”; e “toda ação gera uma reação”; e se tiver resolvido exercícios suficientes usando essas leis para entender cada uma, com certeza vai conseguir se lembrar do que representa cada uma na hora da prova.

Assim, esses termos devem servir para retomar algo que você já sabe, ok?

Coisas que você tem que decorar

Usar as palavras-chave para se lembrar de raciocínios e outras coisas lógicas — nas quais você pode chegar sozinho com alguma reflexão — é ótimo, mas isso não funciona para as coisas menos lógicas, como datas, fórmulas complicadas e outros dados que você simplesmente precisa decorar.

Aqui, então, o seu filtro vai precisar entrar em ação para separar esses pedacinhos de informação dos quais não tem outro jeito de se lembrar.

Com isso, você vai poder adotar uma estratégia diferente para guardá-los na memória e garantir que não sejam esquecidos na hora “H”!

A ordem das coisas

Por último, outra coisa que precisa ser pescada no mar de informações obtidas na sua rotina de estudo é a ordem de alguns elementos. Estamos falando, por exemplo, de hierarquias e linhas do tempo.

Ao estudar gramática, você precisa se lembrar da hierarquia dos elementos para saber o que faz parte da análise de um período (como as classificações de orações) e o que faz parte da análise das orações (como a classificação sintática dos termos).

Já na história, é imprescindível saber o que aconteceu quando para entender o desencadeamento dos fatos.

Por isso, essa ordem é algo que não deve ser descartado no seu filtro, tudo bem?

Como criar filtros que te ajudem na hora da prova?

Já sabe pelo que você deve procurar em cada matéria para calibrar o seu filtro ao estudar? Então vamos às estratégias para reter o que é importante e deixar ir o que não é:

Saiba marcar textos

Não tem maneira mais fácil de filtrar as informações de um texto que marcando-o com uma caneta ou marcador.

De olho no que falamos no último tópico, pode ser ainda mais interessante usar canetas de cores diferentes para marcar cada tipo de informação, como palavra-chave, hierarquia, “decoreba”, etc.

No caso da ordem das coisas, você também pode usar uma cor específica e ainda numerar cada fato em uma coluna lateral, por exemplo. O que acha?

Se houver, então, um artigo explicando a ordem em que as reações da fotossíntese ocorre, você pode marcar uma palavra-chave de cada reação e numerá-las em ordem (usando números inteiros) e hierarquicamente (usando números fracionados, como 1.1, 1.2, etc.), concorda?

Faça resumos

A dica anterior funciona muito bem quando estamos tratando de textos em que podemos fazer anotações sem problemas, como fotocópias, documentos em PDF e apostilas, mas e no caso de livros da biblioteca e até informações em vídeo e áudio?

É aí que os resumos podem se tornar especialmente úteis: ao colocar no papel o que você aprendeu por esses meios, você não só começa a estudar e memorizar tudo como também pode, mais tarde, usar a estratégia de marcar e anotar em cima seu resumo para, por assim dizer, resumi-lo mais ainda! Prático, não é mesmo?

mapa mental concurso

Monte mapas visuais e Flashcards

Por último, e para deixar tudo ainda mais profissional e eficaz, sugerimos que você estruture as informações que passaram no seu filtro de um jeito bem visual.

Depois de ter lido, resumido, marcado e relido toda a matéria, ela com certeza vai estar mais ou menos gravada em algum lugar do seu cérebro, e alguma imagem ou termo já pode ser o suficiente para chamá-la rapidamente à memória.

Sendo assim, em vez de passar os últimos dias revisando todas as suas anotações e marcações de novo, para se tornar mais produtivo, o melhor é lidar só com esses bloquinhos mínimos de informação que contêm, em si, tudo o que você aprendeu.

Ou que tal utilizar mapas mentais resumidos com os esquemas de cada conteúdo? Lembre-se que a experiência visual vai atrair mais gatilhos de memória e dessa forma será muito mais fácil de lembrar tudo aquilo que foi estudado…

Anote palavras-chave, gráficos de hierarquia e listas de ordem em cartões ou faça mapas em pedaços de papel para relacionar itens da matéria na sua mente e ativá-los com uma única olhada, garantindo que você se lembre de tudo na hora da prova só de ler esses termos na questão.

Vale conferir nosso post explicando como elaborar Flashcards para aprender a montar os seus!

Estudar para o ENEM ou para uma prova de concurso público significa rever ou até aprender “do zero” uma quantidade enorme de matérias extensas em pouco tempo.

Logo, filtrar as informações usadas na sua rotina de estudo é um ótimo jeito de acelerar sua preparação, focando apenas o relevante e necessário, e conseguir reter tudo isso com muito mais facilidade!

Comente contando o que você acredita ser importante filtrar nos estudos e que técnicas você utiliza para isso. Quero saber a sua opinião!

Não deixe de se inscrever no meu blog e receber ebooks grátis e além disso ser avisado sempre quando tiver conteúdos novos e muito mais dicas para você!

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

Sucesso e bons estudos!

Atenciosamente,

Léo Oliveira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.