Fundação Carlos Chagas: Aprenda os segredos dessa Banca!

Fundação Carlos Chagas: Quando o assunto é análise de Bancas de Concursos, não devemos nunca deixar de falar sobre a FCC.

Além disso, como eu sempre digo, se o seu objetivo é a tão sonhada aprovação em concurso público, então não basta estudar apenas as matérias previstas no edital.

É fundamental conhecer o estilo de cada banca organizadora para saber a forma como o conteúdo é cobrado nas avaliações.

É claro que o objeto de estudo é um só, mas o foco durante a preparação pode ser completamente diferente a depender da abordagem da banca.

O candidato, em um concurso público, deve procurar investigar para além das informações que constam explicitamente no edital.

Suponhamos, por exemplo, que uma das matérias cobradas seja Direito Constitucional. Nem sempre esta informação, sozinha, é suficiente para uma preparação ideal.

Isso ocorre porque o Direito Constitucional pode ser visto através de diferentes perspectivas.

A banca pode, por exemplo, elaborar questões com base na letra fria da lei, como pode, também, cobrar conhecimentos sobre sua interpretação dada pelos tribunais — o que é a jurisprudência  — ou por acadêmicos especialistas no assunto — o que é a doutrina.

Portanto, é muito importante que o candidato adote o hábito de fazer exercícios de provas anteriores promovidas pela mesma banca e procure estudar o estilo de cada uma das bancas.

Para ajudar nosso leitor com essa tarefa, preparamos para o post de hoje a análise da Fundação Carlos Chagas (FCC), que é uma das principais bancas organizadoras de concursos em todo o Brasil.

Apesar de organizar concursos em praticamente todas as áreas, como é o caso, por exemplo, da última seleção do INSS, podemos afirmar que a verdadeira especialidade da FCC são os concursos para tribunais.

Confira a seguir tudo o que você precisa saber sobre a Fundação Carlos Chagas, e aprenda os caminhos para se sair bem em suas provas!

Sobre a Fundação Carlos Chagas

A Fundação Carlos Chagas é uma entidade privada sem fins lucrativos voltada para a pesquisa e avaliação de competências cognitivas e profissionais.

Atuante no mercado desde 1964, a FCC é hoje uma das principais bancas realizadoras de concursos públicos no Brasil, tendo realizado centenas de processos seletivos de concursos em todo o país.

A FCC já foi responsável pela realização de concursos públicos para órgãos de todos os três Poderes, assim como autarquias, fundações e empresas públicas.

No âmbito do Poder Executivo já foram quase 100 os órgãos que utilizaram seus serviços.

No Poder Legislativo, por sua vez, a banca já realizou o processo seletivo de aproximadamente 10 casas legislativas, incluindo Câmaras Municipais, Assembleias Legislativas e a Câmara dos Deputados.

A especialidade da Fundação Carlos Chagas, no entanto, é a realização de concursos para o Poder Judiciário e para funções essenciais à justiça.

Em seu histórico, a banca já realizou concursos para 9 Procuradorias, 6 Tribunais de Justiça, todos os 24 Tribunais Regionais do Trabalho, 20 Tribunais Regionais Eleitorais, 17 Tribunais de Contas, 5 Tribunais Regionais Federais, para o Tribunal Superior do Trabalho e para o Tribunal Superior Eleitoral.

Portanto, se o candidato pretende começar a estudar para prestar prova para autarquias, empresas e fundações públicas, bem como para o Poder Judiciário, tem que trabalhar com a possibilidade concreta de que a banca avaliadora de seu concurso será a FCC.

Edital e conteúdo programático da Fundação Carlos Chagas

A boa preparação para uma prova de concurso público sempre começa por uma leitura atenta do edital.

No caso das provas elaboradas pela Fundação Carlos Chagas, esse primeiro passo é ainda mais importante, principalmente no que diz respeito ao conteúdo programático anexado ao edital: a FCC é conhecida por cobrar em suas provas praticamente todos os tópicos presentes no edital.

Isso significa que, se o assunto está no edital, então provavelmente será exigido de alguma forma na prova.

Assim, dificilmente um único ponto será cobrado mais de uma vez.

Diferentemente de outras bancas, em que grandes segmentos do conteúdo programático do edital simplesmente não aparecem na prova, a avaliação realizada pela FCC costuma ser bastante diversificada e abrangente.

Durante a preparação, o candidato deve reler constantemente o conteúdo programático, e focar no estudo de todos os seus tópicos.

Estrutura geral da prova

A FCC se distingue por elaborar provas com um nível médio de dificuldade, o que, por vezes, faz com que as notas de corte sejam relativamente altas.

Eventualmente nos deparamos com questões desafiadoras e de complexa resolução, embora esta não seja a regra.

No mais, as provas costumam ter um número fixo de questões objetivas — isto é, de múltipla escolha — e a pontuação final do candidato é, normalmente, a soma de todas as questões que ele acertou.

Portanto, a prova da FCC não desconta pontos do candidato pelas questões que errou, como acontece nas provas da CESPE/UNB, por exemplo.

Já que o erro não é penalizado, o candidato deve estar preparado para utilizar a “Técnica do Chute” (caso não tenha lido o artigo que eu comento sobre essa técnica, basta clicar aqui e ler o artigo com mais detalhes sobre essa técnica!) nas questões que não souber a resposta, colocando em prática uma estratégia para aumentar as chances de acerto — e, é claro, essa tentativa de acertar a questão deve ser feita eliminando assertivas absurdas e tomando cuidado com expressões duras, como “nunca” ou “sempre”.

Outra dica fundamental é a de controlar o tempo.Enunciados grandes ou de difícil leitura podem tomar muito tempo se o candidato não estiver suficientemente concentrado.

Estilo das questões da Fundação Carlos Chagas

A típica questão da FCC é objetiva e tem um comando ao final pedindo que o candidato marque a única assertiva correta ou incorreta dentre as cinco apresentadas.

Normalmente o enunciado apresenta um problema, contextualiza uma situação e dá o comando da questão, ou então simplesmente vai direto ao ponto e dirige uma pergunta ao candidato.

É interessante observar que a maioria das questões exige que o candidato marque a resposta correta, mas, ainda assim, a Fundação Carlos Chagas é recordista em pedir a opção incorreta.

Por isso, muitos candidatos se confundem, principalmente quando já estão cansados, e acabam marcando a opção correta invés de assinalar a incorreta, como manda o enunciado.

Uma boa dica para o candidato é a de sempre sublinhar ou sinalizar quando a questão pede a assertiva incorreta, para chamar sua atenção e evitar o erro.

Dicas para a prova de Língua Portuguesa

O que podemos perceber ao analisarmos provas anteriores é que o candidato não pode deixar de estudar nenhum dos pontos previstos no edital.

No entanto, ele deve dar uma atenção especial a dois tópicos: interpretação de texto e verbos.

A melhor forma de estudar interpretação de texto talvez seja a resolução de exercícios da própria FCC, porque apenas assim você poderá ganhar um pouco mais de intimidade com o que é cobrado pela banca.

Em relação aos verbos, é fundamental dominar regência, concordância e os tempos e modos verbais, já que esses assuntos costumam dominar a parte gramatical das avaliações.

Uma última informação digna de nota é que o português exigido pela FCC costuma ser bastante normativo, o que é um pouco diferente do que é adotado e cobrado por outras bancas de concurso.

Dicas para a prova de Direito

Nas matérias ligadas ao Direito, o candidato deve apostar em um material bem objetivo e na releitura da lei.

Aqui, a chamada letra da lei acaba sendo mais importante do que conceituações doutrinárias e a jurisprudência dos tribunais.

Com esse tipo de questão a banca evita um grande número de recursos e eventuais anulações e alterações de gabarito, já que o grau de subjetividade das questões é pequeno.

Uma boa dica na hora de estudar a lei é a de prestar atenção e sinalizar os detalhes.

A principal estratégia da banca em questões sobre esse assunto é a de tentar levar o candidato ao erro elaborando assertivas quase idênticas ao texto da lei, mas alterando um pequeno detalhe — como por exemplo o número de dias de determinado prazo.

Dicas para a prova de Informática

As provas de informática da FCC costumam exigir do candidato o conhecimento funcional da tecnologia da informação, sob um enfoque prático.

O objetivo é avaliar se o candidato conhece os conceitos e usos básicos e mais comuns da informática.

Assim, em uma prova para nível médio e superior com especialidade em outras áreas que não informática, o foco são as ferramentas de produtividade e os aplicativos de escritório clássicos.

Mas, quando estamos diante de uma prova específica para a área de TI, naturalmente o foco passa a ser mais complexo: os conhecimentos exigidos passam a ser os sistemas de segurança informacional e os gerenciadores de bancos de dados.

Essas foram algumas informações sobre o concurso da Fundação Carlos Chagas.

Em conclusão, vale lembrar que, certamente, só de ter lido este material você já vai sair na frente de seus concorrentes.

No entanto, mais uma vez, a melhor forma de se conhecer uma banca avaliadora é através da resolução de exercícios retirados de provas anteriores realizadas pela mesma banca, porque somente assim o candidato poderá, de fato, assimilar às sutilezas da prova de concurso que irá fazer.

Quando falamos de FCC em particular, o candidato deve lembrar-se de utilizar a língua portuguesa respeitando a gramática normativa e de acordo com o padrão culto da língua, evitando neologismos.

Sua preparação para a prova de Informática deve ser baseada em critérios de funcionalidade.

Entretanto, não podemos nos esquecer que a prova de Direito prestigia a literalidade da lei em detrimento das interpretações doutrinárias ou jurisprudenciais.

Agora, depois de ter recebido vários e-mails, eu gostaria de responder uma dúvida constante dos meus leitores, dessa forma, resolvi aproveitar esse artigo para respondê-la:

Fundação Carlos Chagas

Devo estudar apenas para concursos que estão abertos?

Quando se está começando a estudar para concursos públicos, várias dúvidas vêm à tona para o candidato.

E uma das mais relevantes é sobre como devem ser realizados os estudos; afinal, apresentar um conhecimento mais preciso e adequado sobre a matéria que será cobrada no certame talvez seja o fator mais determinante para a aprovação.

Neste caso específico, o que se deve fazer: estudar somente para os concursos que estão abertos ou se preparar para os que estão previstos para acontecer em breve, ou daqui a um ou dois anos? Continue lendo esse post e descubra!

Escolha uma área para estudar

A primeira questão a ser decidida na preparação para um concurso público é a área em que você vai investir seu tempo de estudo.

Existem basicamente seis grandes áreas de atuação no setor público: a administrativa, a bancária, a fiscal, a jurídica, a policial e os cargos ditos especiais, como, por exemplo, os relativos à diplomacia.

Isso é importante, porque vai determinar quais os tipos de conhecimentos e disciplinas que você terá que conhecer.

Além disso, essa decisão vai oferecer as oportunidades em vários cargos diferentes, dentro de uma mesma área.

Comece a estudar desde já

Se você já colocou como objetivo em sua vida que vai passar em um concurso público, o mais adequado a ser feito é começar a estudar o quanto antes.

Não fique esperando o lançamento do edital do concurso esperado.

Você pode fazer basicamente duas coisas nessa fase: dar uma olhada nos editais anteriores para o mesmo cargo e área onde pretende preencher uma vaga, ou observar o conteúdo programático de outros processos seletivos semelhantes ao que você almeja.

Isso porque existem matérias, dependendo da área, que continuamente se repetem entre as matérias requisitadas, como, por exemplo, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Matemática Financeira, Raciocínio Lógico ou Português.

Dessa forma, você já poderá fixar aos poucos o conteúdo que vai cair na prova do concurso que você quer e, ao mesmo tempo, se prepara para outros concursos da mesma área, de modo que abrirá o leque de opções de processos seletivos para fazer.

Até conseguir preencher a vaga para o cargo que mais deseja, vai que você consegue a aprovação em outro concurso, não é mesmo?

Tenha tempo para fixar melhor a matéria

Com mais tempo para estudar bastante aquelas matérias do concurso que você originalmente pretende fazer, além de ter mais tranquilidade para estudar, você terá a chance de elaborar um bom plano de estudos e cumprir a melhor absorção de todo o conteúdo programático que será cobrado no certame.

Será possível empregar métodos de concentração e memorização de itens mais complexos com muito mais calma e, com isso, se organizar mais apropriadamente.

Se você deixar para estudar tudo de última hora, logo quando o edital for publicado, terá pouco tempo, em geral três meses, para poder entender e fixar bem todo o conteúdo, o que, para quem está começando nesse ambiente de concursos, pode ser muito difícil.

A boa preparação para um concurso público pode ser desgastante e demorada; entretanto, se mostrará recompensadora quando você obtiver a vaga para o cargo tão desejado.   😉

Como você vem se preparando ultimamente para concursos?

Ainda está esperando o edital sair, ou já está colocando a mão na massa?

Conte pra nós através dos comentários!

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

Agora nos conte o que achou de nossas dicas!

Se sente mais confiante para fazer a prova de concurso da FCC?

Comente nosso post e compartilhe suas ideias conosco!

Espero que tenham gostado desse artigo…

Sucesso e Bons estudos! 😉

Atenciosamente,

Léo Oliveira


3 comentários em “Fundação Carlos Chagas: Aprenda os segredos dessa Banca!”

  1. Nossa, essas dicas são ótimas! Estou me preparando para um concurso que vai ser aplicado pela FCC, com certeza vai ser um concurso disputadíssimo, mas vou usar essas dicas que vc deu para ter bom êxito na prova. Se eu deixar uma questão que eu não saiba sem responder, eu posso ser apenado por isso?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.