Mnemônicos: saiba como otimizar essa técnica de estudo

Você já ouviu falar sobre “mnemônicos”? Sabe o que eles são?

Essa é uma forma bastante eficiente de memorizar conceitos, regras e outros aspectos importantes, independentemente de sua área de estudos.

Eles costumam ser mais comuns no Direito, principalmente para quem está se preparando para prestar um concurso. E podem ser muito úteis para quem está estudando há pouco tempo para uma prova, mas precisa memorizar rapidamente alguns conceitos.

Aprenda a dominar essa técnica de estudos! Confira nossas dicas:

mnemônicos saiba como otimizar essa técnica de estudo

O que são mnemônicos?

O primeiro passo que você deve ter em mente é saber exatamente o que são os mnemônicos.

Basicamente, esse é um recurso para a memorização de conceitos mais complexos, por meio de palavras mais fáceis de se decorar.

Cada letra dessas palavras remete à letra inicial de outros conceitos ou temas. Assim, você memoriza uma palavra para o dia da prova e acaba facilitando o resgate de vários outros conceitos imprescindíveis, seja para questões de múltipla escolha, seja para questões dissertativas.

Como eles funcionam na prática?

Na prática, o mnemônico funciona da seguinte forma: junta-se as primeiras letras ou prefixos de cada conceito a seu memorizado, com a finalidade de formar uma palavra de melhor sonoridade.

Por exemplo, o mnemônico “LIMPE” contém os princípios mais importantes do Direito Administrativo: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Claro que é possível decorar diretamente os princípios, mas uma palavra de fácil sonoridade, como “limpe”, pode ser justamente o gatilho que você precisava durante os momentos de branco na hora da prova.

Outros exemplo é o artigo 121 do Código Penal, que trata sobre o crime de homicídio. Mas qual é o tipo penal? Quais são as penas? Qual o tempo de reclusão previsto na lei?

O mnemônico “Mal ReSeVia” te ajuda a memorizar isso: “Mal”, de “matar alguém”; “Re”, de “pena de reclusão”; “Se”, de seis; e “Via”, de “vinte anos”. A pena do tipo “matar alguém” é de reclusão, em tempo que varia entre seis e vinte anos.

Já falamos sobre como o excesso de informações pode ser prejudicial para os estudos, não é mesmo?

Talvez os mnemônicos sejam uma forma de você sistematizar essa quantidade absurda de informações a absorver, e fazer delas algo mais palatável para o dia a dia de estudos.

mnemônicos saiba como otimizar essa técnica

Aprenda a memorizar mnemônicos

Mas como memorizar esses “macetes”? Primeiramente, é preciso ter em mente que existem alguns mnemônicos clássicos, como o citado “LIMPE” do Direito Administrativo.

Ele será mencionado tantas vezes em sala de aula ou nas apostilas que você estiver estudando, que será muito fácil memoriza-lo.

No entanto, algumas áreas do conhecimento são mais novas para você, ou então os mnemônicos são palavras pouco familiares.

Como memoriza-los? Bom, é essencial que você traga o mnemônico para seu próprio universo. Se é uma palavra pouco familiar, que tal trocar a ordem dos conceitos aos quais ela remete, de forma a criar uma palavra mais “amigável”, ou então parecida com algo que você se lembre mais facilmente?

Além disso, você pode tentar descobrir quais tipos de palavras tem mais facilidade de decorar, como verbos, cores, objetos, ou até mesmo frases! Tudo isso influi (e muito) no processo de memorização dos mnemônicos.

Você pode também pode criar seus próprios mnemônicos

É importante você ter em mente que essa técnica de estudos vai muito além daqueles mnemônicos criados pelos professores de cursinho, ou ensinadas nas apostilas preparatórias de concurso.

Na verdade, você também pode criar seus próprios mnemônicos a partir da necessidade de decorar alguns conceitos que ainda estão soltos para você, ou que necessitam de maior fixação.

Por exemplo, há vários estudantes que têm muita dificuldade para decorar os fundamentos da República, descritos no artigo 1º da Constituição Federal.

Por que não criar um mnemônico para combinar “soberania, cidadania, dignidade da pessoa humana, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa, e pluralismo político” em uma única palavra, ou frase, para lembrar na hora da prova?

Não é raro que esses fundamentos sejam cobrados em provas de concursos hoje em dia, por isso é importante tê-los sempre em mente.

Essa mesma técnica pode ser aplicada em outras áreas de estudo, independentemente da disciplina. Basta você relacionar um conceito com uma palavra de fácil memorização e criar seu mnemônico.

Mas não se esqueca que é preciso praticar! Afinal, você precisa memorizar ao menos a palavra do mnemônico. Para isso, não há nada melhor do que a prática!

Coloque em prática seu uso no dia a dia dos estudos e colha os benefícios dessa técnica de estudos!

Dicas sobre como otimizar essa técnica

Por falar em formas de colocar em prática os mnemônicos, pensamos em algumas dicas que podem te ajudar nessa tarefa.

Além da forma de criação já descrita nos itens anteriores, você também pode utilizar outras formas de otimização dessa técnica.

mnemônicos saiba como otimizar essa técnica de estudo

1. Utilize um quadro de mnemônicos

Você tem um quadro no qual tem seu horário de estudo de cada disciplina, plano de estudos, etc.? Que tal adicionar também a esse ambiente um quadro de mnemônicos?

Isso pode ser muito útil para você visualizar o que cada letra, prefixo ou palavra significa na prática, o que também ajuda na memorização.

Sempre que tiver uma dúvida sobre como lembrar esses conceitos, basta conferir seu quadro e refrescar a memória.

2. Cores diferentes

Ajuda muito se os mnemônicos de seu quadro estiverem separados por cores, de preferência em post-its.

Por exemplo, se você está estudando para um concurso, que tal escrever todos os seus mnemônicos de Direito Administrativo em post-its amarelos, enquanto aqueles de Direito Constitucional são escritos em post-its verdes?

Você se surpreenderia no tanto que nosso cérebro utiliza as cores e nossa memória fotográfica para fixar conceitos. Utilizar cores fixas ajuda a contextualizar a temática de cada mnemônico utilizado, o que facilita muito o processo de memorização.

3. Pratique!

Já falamos isso anteriormente, mas não custa reforçar: pratique! De preferência, faça isso todos os dias!

Coloque em prática todos os mnemônicos que você aprende e cria, pois essa é uma atividade fundamental para a memorização.

Se esforce ao máximo para lembrar o que cada letra ou prefixo do seu mnemônico efetivamente significa, sem conferir imediatamente em seu quadro de referencia. Isso também favorece o aprendizado, porque você não desenvolve uma dependência do quadro.

4. Comece sua prova escrevendo seus mnemônicos no verso

Vai fazer uma prova de concurso? Realizar exercícios para a prática individual? Ou então um simulado?

Comece a prova escrevendo aqueles mnemônicos mais essenciais no verso de seu caderno de perguntas. Essa é uma medida que pode salvar muitas pessoas em momentos de branco durante a prova.

Afinal, quando você está apenas começando a realizar a prova, ainda tem tranquilidade e a paciência de relembrar essas palavras. Além disso, não está cansado depois de horas e horas de trabalho intelectual pesado.

Por isso fica mais fácil lembrar cada um dos mnemônicos e coloca-los na ponta do lápis.

5. Associação com frases maiores

Você é uma pessoa religiosa? Isso não importa muito na hora de memorizar as sanções por atos de improbidade administrativa (artigo 37, da Constituição Federal).

Basta decorar o mnemônico “SuPer InRe” (suspensão, perda da função, indisponibilidade dos bens e ressarcimento ao erário) com a frase “só o SuPer InRe cristo pode!”

Se esse tipo de frase te ajuda a memorizar o mnemônico com mais facilidade, é tudo o que importa!

6. Foco nos mnemônicos mais clássicos, que todo concurseiro sabe

Quando você está prestando um concurso, precisa necessariamente se destacar da concorrência.

Para fazer isso, nada melhor do que começar em pé de igualdade com seus concorrentes, memorizando aqueles mnemônicos mais comuns nas salas de cursinho.

Você deve presumir que seus colegas sabem essas palavras de cor há muito tempo! Logo, poderá acrescentar novas palavras a sua base de referência, mas comece por meio desses mnemônicos que separamos para você. Confira:

SOCIDIVAPLU – São os fundamentos da República (artigo 1º da Constituição Federal)

So – Soberania

Ci – Cidadania

Di – Dignidade da pessoa humana

Va – Valores sociais do trabalho e da livre iniciativa

Plu – Pluralismo político

MAID – Quais são os atos administrativos punitivos

M – Multa administrativa

A – Atos de autuação interna

I – Interdição de atividade

D – Destruição de coisas

MARTE – Sobre a finalidade dos atos jurídicos

M – Modificar

A – Adquirir

R – Resguardar

T – Transferir

E – Extinguir (direitos)

MP3.COM – Sobre os cargos privativos de brasileiro nato (artigo 12º da Constituição Federal)

M – Ministro do Supremo Tribunal Federal

P – Presidente e Vice-Presidente da República

P – Presidente da Câmara dos Deputados

P – Presidente do Senado Federal

C – Carreira diplomática

O – Oficial das Forças Armadas

M – Ministro de Estado da Defesa

Claro que existem vários outros mnemônicos por aí, que podem ajudar (e muito) seus estudos! Mas esse é um bom ponto de partida para quem está apenas se familiarizando com esse método de estudo.

Setredos dos Concursos

Aliás, se você está começando no mundo dos concursos, confira aqui nosso post com os primeiros passos e dúvidas de todo concurseiro.

O que achou dessas dicas sobre como otimizar o estudo de mnemônicos? Conhece alguém que possa se interessar sobre esse tema?

Aproveite então para compartilhar este post em sua rede social preferida! 😀

Atenciosamente,

Léo Oliveira.

1 comentário em “Mnemônicos: saiba como otimizar essa técnica de estudo”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.