Plano de Estudos: 5 elementos que não podem faltar!

Imagine a seguinte cena: você decide — ou então não decide, ok, mas precisa — se preparar para uma grande prova…

Você faz a sua inscrição, anota o dia do exame na agenda mas, na hora de pegar as matérias para estudar, bate aquele desespero: você não sabe o que é mais importante, não tem ideia de por onde começar e tem a terrível sensação de que não vai conseguir ver todo aquile conteúdo até o grande dia.

Isso parece familiar para você?

Se você está passando por isso e ainda tem alguns meses antes da prova, pode ficar tranquilo: a solução é elaborar um plano de estudos muito bem-feito para te levar até lá sem estresse.

Quer ver como?

Continue lendo e descubra os 5 elementos que não pode faltar no seu planejamento!

plano de estudos - o que é plano de estudos

O que é um plano de estudos

Para quem ainda não está entendendo bem, a gente esclarece: um plano de estudos é um documento que estabelece as etapas pelas quais você vai precisar passar para alcançar determinado objetivo (aqui, a aprovação na prova que você irá prestar).

Nas universidades, por exemplo, o plano de estudos dos alunos é composto pelas matérias em que eles vão ter que ser aprovados para conseguir o diploma.

No seu caso, então, o plano deve conter tudo o que você vai precisar fazer para passar na prova — de estudar Matemática a aprender sobre Programação, por exemplo.

Entendeu agora? Então vamos começar a te mostrar quais são os 5 elementos essenciais no seu Plano de estudos:

target

1. Foco no objetivo final

A primeira coisa a fazer, bem no alto do seu plano (que, como dissemos, é um documento, então precisa estar registrado por escrito!), é anotar o seu objetivo principal: para que você está estudando?

Encare isso como a sua missão, e procure colocar no papel também os motivos pelos quais você quer cumpri-la.

Se o objetivo final é passar no ENEM, escreva, por exemplo: “Passar no ENEM para conquistar uma vaga em uma boa universidade e poder me candidatar ao ProUni”.

Se a prova for um concurso público, pense naquilo que vai mudar depois da sonhada aprovação:

Passar no concurso X para conseguir um cargo que irá me dar mais estabilidade financeira.

Neste momento, isso pode até parecer bobo, mas acredite: manter isso em mente durante a elaboração do planejamento e na preparação vai te ajudar a definir o que é mais importante e ainda servir como motivador para você seguir em frente, mesmo quando estiver meio desanimado!

Feito isso, o segundo passo é quebrar esse seu grande objetivo em vários objetivos menores, que precisam ser alcançados um a um até o dia da prova.

Eles podem ser, por exemplo, as disciplinas que você tem que estudar para o concurso, os pontos que você precisa dominar até lá, as habilidades que precisará ter, e por aí vai.

Resumindo, eles são os degraus que vão te levar a conquistar a sua missão, ok?

plano de estudos 3

2. Metas bem-definidas

Com seu objetivo principal escrito no alto do plano de estudos e os “degraus” que vão te levar até lá devidamente listados, você vai precisar detalhar ainda mais o seu planejamento estabelecendo metas para cada objetivo secundário (os degraus).

Essas metas vão ser, basicamente, as estratégias por meio das quais você pretende alcançar cada um desses objetivos que resumem a sua missão.

É o seguinte: se a sua missão é “passar no ENEM” e um dos objetivos para conseguir isso é “ficar muito bom em redação”, você pode ter, para alcançar esse objetivo, metas como:

  • Entender a estrutura de um texto dissertativo-argumentativo.
  • Fazer uma redação por semana.
  • Estudar as regras de gramática e ortografia que gerarem dúvidas ou erros durante a prática da redação.
  • Ler notícias durante 30 minutos todos os dias para ficar ligado nos temas da atualidade, que podem ser assunto da redação do ENEM.

É claro que esse é um exemplo básico e a definição dessas metas vai depender dos seus “degraus” e, também, do edital da sua prova, já que concursos diferentes podem cobrar determinadas coisas de formas diferentes, então não vá elaborar as suas metas sem consultá-lo, heim?!

Outra dica nessa hora é usar o método SMART, segundo o qual as suas metas devem ser:

  • Específicas;
  • mensuráveis;
  • atingíveis;
  • realistas;
  • e atreladas ao tempo.

A gente já explicou, em outro post, como definir metas de estudo usando essa técnica, não deixe de dar uma olhada!

plano de estudos 4

3. Horários que criem uma rotina fixa

Depois de definir as metas que vão te ajudar a alcançar seus objetivos secundários e, assim, cumprir a sua missão final (ufa!), seu plano de estudos vai estar mais ou menos pronto, mas ainda não dá para colocá-lo em prática sem levar em conta alguns detalhes!

Se você seguiu as dicas até aqui direitinho, então deve ter terminado com uma lista bem extensa de objetivos/degraus e metas, certo?

Mas não é para sair estudando tudo isso de qualquer jeito, pois sem mais planejamento, você vai ficar perdido com tanta coisa para fazer.

Para não se embananar com o seu plano, é preciso encaixar suas metas em um cronograma que te permita ir estudando cada coisa aos poucos dentro do tempo disponível até o dia da prova.

Se não fizer isso, as chances de que você passe muito mais tempo que o necessário nas primeiras metas e precise correr feito um maratonista para terminar as restantes até o dia “D” são bem altas!

Mas não é só para saber quando estudar o quê que você precisa dessa organização.

Estabelecer horários de estudo e prazos para cumprir cada meta é fundamental para conseguir se concentrar, criar uma rotina e dar conta de toda a preparação que te espera.

Assim, você sabe que vai poder checar o Facebook, responder as mensagens no Whatsapp e assistir aquele episódio que acabou de ser lançado da sua série favorita quando o horário de estudo acabar, evitando que essas distrações fiquem atrapalhando sua preparação na hora errada.

Da mesma forma, você vai saber exatamente quando deveria ter chegado em tal ponto do plano de estudos, conseguindo analisar seu desempenho para acelerar o processo, se necessário, ou ficar relaxado caso as coisas estejam indo como planejado.

plano de estudos 5

4. Flexibilidade para reajustar as coisas

Ah, e por falar em perceber que as coisas não estão indo como planejado, lembre-se de que enfrentar essa situação sem ter espaço para fazer alterações no seu plano de estudos é o mesmo que se dar conta de que a gasolina do avião vai acabar em pleno voo: desesperador e sem muito o que você possa fazer para solucionar o problema.

Bem assustador, não é?

Por isso mesmo, outra coisa que você tem que ter no seu planejamento de qualquer jeito é um espacinho para ajustar as coisas no meio do caminho, se for preciso.

Isso significa que o seu plano, em conjunto com o seu cronograma, não pode ser super apertado, com a última meta sendo finalizada no dia anterior à prova — essa é a receita certa para gerar pânico nas últimas semanas.

Além disso, não se esqueça de que, no meio da preparação, pode ser que você perceba que precisa de mais tempo para se dedicar a uma matéria muito complicada, enquanto consegue resolver outra mais fácil em muito menos tempo do que você tinha pensado.

Tudo isso precisa ser mais ou menos levado em consideração na hora de montar o seu plano, deixando uma folguinha para reajustá-lo à medida que ele for sendo colocado em prática, entendeu?

plano de estudos 6 hora de revisar

5. Espaço e tempo adequado para revisão do conteúdo e resolução de exercícios

Mais uma coisa que não pode faltar no seu plano é a revisão do que você aprendeu, tanto na forma de elaboração de Flashcards e releitura, por exemplo, quanto na resolução de atividades mais práticas sobre o assunto.

Se preparar para uma prova, independentemente do tamanho dela, não é só sentar-se e ler apostilas, textos e livros sobre o tema, afinal, na hora do exame, ler não vai ser a única coisa que você vai precisar fazer.

Escrever, resolver exercícios e sintetizar suas ideias no papel, então, também são parte essencial da preparação e devem constar no seu plano de estudos, viu?

Além disso, até nas matérias em que há menos possibilidade de realizar exercícios mais práticos, como as da área de Ciências Humanas, é preciso separar um tempo para reler o que você estudou, fazer resumos e realmente gravar tudo aquilo na memória.

Uma boa ideia para não se esquecer desse detalhe é incluir, para cada objetivo secundário, a meta de revisar e praticar cada uma das matérias estudadas.

Outro jeito de fazer isso é separar no cronograma um horário fixo ou dia da semana só para essa atividade, de preferência, claro, mais para o final, depois de você ter passado pela parte teórica, certo?

O plano de estudos é uma das ferramentas mais importantes de quem está se preparando para um concurso ou para o ENEM, principalmente se você está estudando por conta própria, não é verdade?

Ao estudar para concursos, muita gente acaba cometendo alguns erros simples, mas que podem comprometer muito o rendimento e o alcance da aprovação.

É preciso saber lidar com a rotina de estudo e tomar as atitudes certas, para que a mente e o corpo se mantenham em equilíbrio e você consiga extrair o máximo de conteúdo que for possível.

Pensando nesse tema elaboramos o post de hoje com algumas dicas sobre os deslizes mais comuns e que você deve evitar na hora de estudar para concursos públicos.

Continue acompanhando e fique por dentro!

Ficar ansioso demais

Você, com certeza, já passou pela situação de ficar nervoso ao estudar para um concurso, muitas vezes se questionando se você é capaz, se a aprovação realmente vai chegar e se você está se dedicando o suficiente.

Acontece que, quando estamos nervosos, a nossa mente fica inquieta, o pensamento se dispersa e foge facilmente para outras ideias.

Desse jeito, acaba ficando difícil conseguir concentrar e se dedicar para aprender o conteúdo.

Portanto, evite ficar ansioso demais, estude com calma e tenha paciência. Mais cedo ou mais tarde a sua aprovação chegará.

Ultrapassar os limites na preparação para concurso

Ultrapassar os limites do corpo

Sabemos que o que você mais quer é ser aprovado no tão sonhado concurso público.

Mas atenção: estudar horas a fio, sem descanso e ultrapassando os limites do seu corpo não só não te levará à aprovação, como também comprometerá a sua saúde.

Para que a mente esteja relaxada para absorver conteúdo é importante que o corpo descanse!

Diante disso, lembre-se que você merece descanso, evite ficar por horas e horas vidrado nas apostilas e cuide bem da sua saúde e alimentação.

Se você estiver relaxado e descansado, o seu estudo será muito mais agradável e produtivo.

planejamento - ler com atencao

Não ler com atenção o edital

De nada vai adiantar você passar meses estudando para aquele concurso se você não estiver ciente de todas as informações que estão contidas no edital.

Lá, haverá dados muito importantes que você precisa saber, desde data e horário das provas, até mesmo informações sobre o que você precisa levar, materiais que não são permitidos e possível mudança do dia da prova.

plano de estudos 1

Não equilibrar o estudo

Os conteúdos cobrados nos concursos públicos são, sim, muito extensos e diversificados.

Porém, de nada adianta se dedicar muito a uma determinada matéria se você não se empenhar em outra.

É preciso saber manter o equilíbrio e, para isso, uma boa alternativa é criar literalmente “vergonha na cara” * e fazer um planejamento de estudos, distribuindo todo o conteúdo que você precisa estudar de acordo com os dias e horários que você tem disponíveis.

*Obs: (Digo isso porque muitos dizem que montam seus planos de estudos porém, não se cansam de se enganar e não ficam presentes para o mal que isso pode trazer para a sua preparação! Fique ligado e se você ainda não fez o seu, comece agora mesmo e pare de procrastinar!) Desculpe a sinceridade…mas as vezes é preciso! 😉

plano de estudos - anotações alheias

Basear-se em anotações alheias

Pode até parecer bastante tentador estudar com o material escrito por aquele colega que já foi aprovado, porém, na prática, isso pode não ser tão positivo assim.

Eu vejo muitas vezes por aí, pessoas adquirindo resumos, ou esquemas de outros concurseiros que já conseguiram passar em algum concurso.

Porém o que elas esquecem, é que para chegar naquele resumo, esquema ou mapa mental o concurseiro gastou várias horas de estudo e chegou a um nível de conhecimento sobre a matéria em questão muito maior do que o aluno ou concurseiro que simplesmente adquire o material e começa a estudar a partir do resumo ou esquema.

Isso porque, quando você faz as suas próprias anotações você é de certa forma forçado a guardar aquilo que escreveu.

E dessa forma, conseguir levar o conhecimento da memória de curto prazo para memória de longo prazo.

E essa etapa é eliminada quando você não cria os seus próprios resumos, esquemas ou mapas mentais para o seu Concurso desejado.

Por isso, pense bem e faça as suas próprias anotações.

Dessa forma, estará adotando uma excelente estratégia para conseguir guardar todo o conteúdo que está previsto no edital.

Bem, estamos chegando ao final de mais um artigo, espero que tenha gostado das dicas.

Tente evitar ao máximo esses deslizes e se dedique a alcançar o seu objetivo!

Não se esqueça de se cadastrar e deixar o seu email abaixo, para receber mais artigos como esse e para que eu possa te ajudar de alguma forma com mais dicas e estratégias de sucesso que possibilitaram a minha aprovação em diversos concursos…

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

Lembre-se que a aprovação é difícil, mas que evitando erros e agindo da maneira certa ela se tornará cada vez mais próxima de você, afinal, nem todos os concurseiros têm acesso a essas dicas, não é mesmo?

Comente aqui embaixo dizendo que outros elementos você acredita que são essenciais na hora de elaborar um plano desse tipo e, se esse é o seu caso, não deixe de ler também nosso post com 5 dicas para quem está estudando sozinho não se perder!

Se você também quer compartilhar alguma dica ou experiência, escreva para nós através dos comentários!

Sucesso e Bons estudos!

Atenciosamente,

Léo Oliveira

3 comentários em “Plano de Estudos: 5 elementos que não podem faltar!”

  1. Achei o artigo excelente! Parabéns ! Léo Gomes Oliveira, adorei todas as dicas, Muito obrigada pela a dedicação. e por compartilhar todo esse conteúdo, também estou precisando, de toda essa motivação. Abraço fraterno..

    1. Que bom que gostou Cleo!
      Fico muito feliz que você sempre esteja aqui no blog comentando e participando ativamente nos meus artigos com seus comentários!
      Isso só me motiva cada vez mais a produzir os melhores conteúdos para todos vocês!
      Sucesso e bons estudos!
      Atenciosamente,
      Léo Oliveira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.