SUSEP: 5 passos importantes para o sucesso nesse Concurso!

Apesar de ser pouco conhecida, a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Fazenda, que é responsável pela fiscalização, regulamentação, fomento e controle do mercado de seguros, de previdência privada e títulos de capitalização vendidos pelas instituições financeiras de todo o país.

Seu presidente é o Ministro da Fazenda e ela possui sede na cidade do Rio de Janeiro, local para onde geralmente se destinam a maior parte das vagas para concurso.

Contudo, a autarquia possui operações em Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Brasília e São Paulo, dessa forma, é muito provável que sejam abertas vagas para estas capitais.

O que é mais surpreendente, quando falamos em concursos da SUSEP, é o padrão inicial de vencimentos das carreiras.

Vamos tomar como exemplo o último concurso, feito no ano de 2010 para o cargo de Analista.

Foram abertas 38 vagas de Analista Técnico da SUSEP, sendo que o salário inicial foi de R$12.413,65.

Há outro cargo, o de Agente Executivo, que possui como requisito o nível médio de escolaridade e remuneração de aproximadamente R$7.000,00.

É importante registrar que o Analista é remunerado por subsídio, ou seja, seus vencimentos são discriminados sob uma parcela única, sendo vedada a percepção de adicionais e gratificações na folha de pagamento.

Apesar disso, os servidores da Superintendência possuem progressão anual da carreira, ou seja, a cada ano de efetivo serviço prestado, há a progressão de um padrão de vencimento na carreira, diferentemente de outros servidores públicos que possuem progressão apenas após dois ou três anos de efetivo serviço público.

Outro detalhe que não pode passar despercebido é que este concurso para o cargo de analista teve seu prazo de validade expirado em 2014.

Já o cargo de nível médio foi realizado em 2006, o que aumenta a cada dia a expectativa de que seja lançado um novo edital para provimento de pessoal, em virtude das aposentadorias, pedidos de exoneração e afastamentos em geral que vão desfalcando o quadro de servidores da autarquia.

Além disso, é importante atentar para o detalhe de que todos os concursados empossados não são contratados pelo regime de trabalho regido pelas Consolidações das Leis Trabalhistas (CLT).

Os servidores se submetem ao regime estatutário de trabalho, ou seja, possuem estabilidade após o cumprimento do estágio probatório, só podendo ser demitidos após sentença judicial transitada em julgado, procedimento administrativo no qual seja assegurada ampla defesa ou, em caso de contingência de gastos.

Veja a seguir cinco passos importantes para sucesso nas provas do concurso da SUSEP!

Descubra o perfil da banca organizadora do concurso da SUSEP

Uma dica preciosa para qualquer concurso que você queira fazer é:

sempre analise com cuidado o edital do último concurso.

Ele traz informações importantes como, por exemplo, qual banca examinadora foi a responsável pela organização do concurso, qual foi o conteúdo programático, como foi a divisão e peso das questões etc.

Pelos últimos editais dos anos de 2006 e 2010, para os cargos de Agente Executivo Federal e Analista Técnico, podemos ver que a banca responsável pela elaboração e aplicação das provas foi a ESAF – Escola de Administração Fazendária.

ESAF

A ESAF é uma banca muito temida pelos candidatos, uma vez que ela é conhecida por cobrar em suas provas temas em que não há consenso doutrinário nem jurisprudencial, fazendo como que haja um volume muito grande de recursos em suas questões.

Além disso, as questões elaboradas são aprofundadas e bem complexas.

Dessa forma você já pode ter uma noção de que o material de estudo para as provas da ESAF não pode ser superficial.

Estudar por “resumões”, por exemplo, pode não ser uma boa escolha, vez que a banca costuma cobrar detalhes bem específicos dos conteúdos programáticos.

Não se preocupe com a relação candidato/vaga

RELAÇÃO CANDIDATO VAGA

Todos nós sabemos que a cada ano, mais brasileiros passam a se dedicar ao estudo para concursos públicos.

Isso tem um reflexo direto no número de inscrições que vem batendo recordes, sobretudo nos concursos de amplitude nacional.

Nesse cenário, a disputa de quase de 1.000 pessoas por uma única vaga não é incomum.

Entretanto, temos uma boa notícia: segundo dados fornecidos pela ESAF, no concurso de 2010 para o cargo de Analista Técnico, por exemplo, foram oferecidas 129 vagas e o número de inscritos foi de 15.121 pessoas, gerando uma relação de 117,2 candidatos por vaga, o que pode ser considerado um número muito baixo do que se comparado a ouros certames.

Dessa forma, não tema esses números e foque na sua preparação e determinação, que são essenciais para seu sucesso.

Veja no edital qual a competência de cada um dos cargos

Os editais sempre trazem informações acerca das atribuições dos cargos.

Sendo assim, ler essas informações é muito útil, uma vez que elas oferecem uma noção sobre o que você fará quando for empossado no cargo.

Além disso, essas funções dão dicas para os concurseiros de quais conteúdos provavelmente serão mais cobrados nas provas.

No edital de 2006, o cargo de Agente Executivo teve como competência descrita pelo edital o desenvolvimento de tarefas de suporte administrativo; atualização de sistemas de informação; operação com editores de textos, planilhas e bancos de dados; arquivamento de documentos, dentre outras atividades.

Por esses dados já podemos perceber que a prova teria grandes chances de cobrar conhecimentos na área de informática, conhecimentos Contábeis e informações sobre a atividade-fim da autarquia, que são os seguros e resseguros.

Já no edital de 2010, o cargo de Analista Técnico teve como atribuições descritas: desenvolvimento de atividades ligadas a controle econômico, financeiro e contábil das entidades supervisionadas; fiscalização, controle e orientação das entidades supervisionadas; execução de atividades relacionadas a regimes especiais; estudos atuariais e de normas técnicas no âmbito das operações realizadas pelas entidades supervisionadas, dentre outras atividades.

Assim, podemos ver que os conteúdos prováveis de cobrança poderiam ser conhecimentos específicos sobre a área de Seguros, Resseguros e Previdência complementar aberta, Estatística e Contabilidade.

A escolha do material didático para o concurso

Em um concurso como esse, em que a banca é conhecida por apresentar questões controversas e bem aprofundadas, não dá para estudar por qualquer material, por aquela apostila empoeirada que seu amigo te emprestou ou por aquele resumão que tenta falar sobre tudo e acaba não falando de nada.

Diante isso, a escolha de um preparatório específico e voltado para o cargo que você almeja, com material didático atualizado é fundamental.

Não procure um curso pelo preço que ele oferece, mas sim por sua carga horária, pelo seu renome e pela qualidade do seu material didático.

Fique longe de promoções que, de tão atraentes passam a ser duvidosas.

Lembre-se de que é muito comum alguns cursinhos venderem apostilas a preços abaixo de mercado, que foram elaboradas para editais de anos muito anteriores, mas que se encontram totalmente desatualizadas.

Tome muito cuidado, pois estudar com material desatualizado pode te custar algumas questões e por vezes pode fazer com que você deixe a sua vaga escapar por um erro tão bobo…

Mantenha o equilíbrio e a organização

organizacao

O que todo mundo já sabe é que a aprovação no tão sonhado concurso público não vai cair do céu.

Para isso, você vai ter que dedicar muitas horas por dia aos estudos, à resolução de exercícios e à leitura completa dos editais.

Para conseguir fazer tantas coisas em um espaço de tempo às vezes não tão grande, é fundamental que você organize um quadro de horários e a programação diária dos conteúdos programáticos que serão estudados.

Assim, planeje, sua semana, fazendo uma tabela do o que estudar a cada dia.

Além disso, é muito importante que você estude diferentes matérias ao longo das semanas, evitando que um certo conteúdo fique muito tempo sem ser visto.

Isso porque, como muitos dos conteúdos exigem um grande esforço de memorização, se você os estuda, memoriza os detalhes e depois fica um longo tempo sem ter contato com aquilo, certamente esquecerá por completo tudo o que foi memorizado.

Dessa maneira, estude através de um método de “vai e volta”.

Estude uma coisa, depois outras, depois continue daquela primeira e assim por diante, de forma que você sempre esteja relembrando o que já foi visto.

Além da organização e da força de vontade de se dedicar a um concurso, o equilíbrio emocional é fundamental.

De que adianta diminuir o convívio com amigos e família para estudar, parar de fazer o que gosta, se você não está equilibrado emocionalmente para fazer a prova?

Portanto, entre os intervalos de estudo, dedique-se a atividades agradáveis e prazerosas, que diminuam sua ansiedade e seu cansaço mental, a fim de que no dia da prova você esteja preparado intelectualmente, mas também suficientemente descansado para conseguir se concentrar, fazer a prova com calma e controlar a ansiedade, que é a maior inimiga de muitos concurseiros.

Afinal, muitas pessoas já tiveram, ou conhecem alguém que já teve a experiência de saber tudo para fazer uma prova, mas sofrer aquele “branco” na hora H e não conseguir o desempenho esperado.

Por isso e tantos outros motivos que o controle emocional, o controle da ansiedade, da insegurança e do medo são tão importantes quanto o preparo intelectual por meio do estudo dos conteúdos teóricos.

Seja Aprovado em Qualquer Concurso!

E então, você já começou seu preparo para o concurso da SUSEP?

O que você acha de começar a estudar para esse concurso?

O edital pode sair a qualquer momento! Compartilhe a sua experiência através dos comentários!

Espero que tenha gostado das dicas. Vejo você no próximo artigo!

Até mais!

Sucesso e bons estudos.

Atenciosamente,

Léo Oliveira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.